Clássicos e maratona fora de casa: Juventude precisará pontuar longe do Jaconi - Esportes - Pioneiro
 

Gauchão 201802/02/2018 | 09h15Atualizada em 02/02/2018 | 09h15

Clássicos e maratona fora de casa: Juventude precisará pontuar longe do Jaconi

Com mudança na tabela, equipe alviverde jogará próximas três partidas como visitante

Clássicos e maratona fora de casa: Juventude precisará pontuar longe do Jaconi Diogo Sallaberry / Agência RBS/Agência RBS
Em Pelotas, na estreia, Juventude perdeu para o Brasil-Pel por 3 a 1 Foto: Diogo Sallaberry / Agência RBS / Agência RBS

Garantida a classificação à próxima fase da Copa do Brasil, o foco do Juventude volta ao Gauchão. E o time terá prós e contras com a mudança de datas no Estadual — a sexta rodada, que seria no fim de semana de carnaval, foi transferida para o dia 11 de março. 

A favor do técnico Antônio Carlos Zago, os 15 dias que terá para completar a preparação, encurtada pelo início antecipado do Gauchão. Para o treinador, esse período será essencial para que ter o time equilibrado:

— Depois desses dias não teremos mais o que reclamar do tempo de preparação. Será uma espécie de segunda pré-temporada.

O lado negativo para os alviverdes com o jogo contra o Veranópolis indo para março, será a sequência longe de casa. A começar pelo Avenida, segunda-feira, em Santa Cruz do Sul, serão três partidas como visitante. Para piorar, tirando o próximo confronto, os outros dois serão clássicos — Juve-Nal, no Beira-Rio, e Ca-Ju, no Centenário.

 Leia mais
Jogadores do Juventude destacam necessidade de evolução e a importância da classificação na Copa do Brasil

Por isso, a importância de pontuar longe do Alfredo Jaconi e de, quase como uma obrigação, vencer o Avenida, nos Eucaliptos. Até para que a alteração feita pela FGF seja benéfica nas últimas quatro rodadas para o Ju. Serão três jogos como mandante — Cruzeiro, Grêmio e VEC — e um fora, contra o São José, no que seria a despedida do Gauchão antes das mudanças.

O drama de não pontuar fora de casa pôde ser visto na campanha do Ypiranga, no ano passado. O time de Erechim, enquanto visitante, conquistou apenas um ponto em seis partidas longe do Colosso da Lagoa. Assim como o Ju terá esse ano, o Ypiranga teve três em casa e um fora nas últimas rodadas. Uma vitória e dois empates em seus domínios não foram suficientes para garantir o time canarinho na primeira divisão estadual.

A situação alviverde é bem menos desesperadora do que a do Ypiranga em 2017, que arrancou com quatro derrotas. Mas para alcançar a classificação à próxima fase e não chegar precisando pontuar para garantir a permanência no Gauchão, como foi ano passado, é preciso o Juventude começar a ser um visitante mais indigesto do que nas rodadas iniciais, onde soma duas derrotas fora de Caxias do Sul.

Leia também
Com o estreante Marcelo Demoliner, Brasil inicia disputa da Copa Davis contra a República Dominicana
Gramado recebe jogo do Canoas contra o Taubaté pela Superliga, neste sábado

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros