Apresentado no Alfredo Jaconi, Julinho Camargo valoriza o desafio de comandar o Juventude - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Gauchão 201826/02/2018 | 21h40Atualizada em 26/02/2018 | 21h49

Apresentado no Alfredo Jaconi, Julinho Camargo valoriza o desafio de comandar o Juventude

Treinador projeta mini operação de guerra para os três jogos finais do Estadual

Apresentado no Alfredo Jaconi, Julinho Camargo valoriza o desafio de comandar o Juventude Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Um nome que sempre rondou o Alfredo Jaconi foi confirmado nesta segunda-feira à noite como novo comandante do time alviverde. Julinho Camargo, 47 anos, trocou o Veranópolis, onde estava disputando o Gauchão, para assumir o Juventude no restante de 2018.

– O Julinho vem dentro daquele perfil que procurávamos. É um profissional experiente, que conhece o futebol gaúcho e a Série B. Além disso, tem no currículo a utilização de jovens da base. Esperamos que ele nos auxilie neste processo de retomada no cenário nacional – destacou o vice-presidente de futebol Jones Biglia.

Na entrevista coletiva (confira abaixo), o treinador, que chegou acompanhado do auxiliar Valdemar Fernandes, comemorou a oportunidade de trabalhar no Alfredo Jaconi.

– São desafios e, em tudo na vida, a gente pode olhar de duas formas. No Veranópolis, fizemos um campeonato em que sempre estivemos entre os oito classificados. Chego muito tranquilo para realizar esse trabalho aqui. O Juventude tem uma camisa muito forte, uma torcida marcante e que joga junto com o time. Aprendi a ver um celeiro de formação de atletas. É algo que também me agrada – destacou o treinador.

Depois de rodar por vários clubes do Rio Grande do Sul e de ter algumas passagens fora do Estado, Julinho chega em um momento complicado no Juventude.  Após o acesso, em 2016, o clube alviverde tem pouco a comemorar. O melhor momento foi o início da Série B do ano passado, quando se criou uma expectativa de chegar à Série A. De lá para cá, são protestos frequentes e um time que não empolga o torcedor. 

– Entendo que chego em um momento conturbado da competição para os 12 clubes. Se pensarmos da quarta-feira (quando inicia o trabalho) até o outro domingo, quando acaba a fase de classificação, serão 10 dias onde muita coisa vai se decidir. Teremos poucos ajustes. É uma mini-operação de guerra, de ficar extremamente atento aos três jogos – comenta Julinho, que, no comando do Veranópolis, teve três vitórias, três empates e duas derrotas neste Gauchão.

Sobre a missão de classificar o time para a segunda fase do Campeonato Gaúcho, e a necessidade de montar o grupo alviverde para o Brasileiro da Série B, Julinho foi cauteloso , mas mostrou-se otimista com o futuro. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 26/02/2018 - Julinho Camargo é o novo técnico do Juventude. (Felipe Nyland/Agência RBS)
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

– Para opinar sobre o elenco do Juventude preciso estar dentro.  Olhando de fora, acho que é um bom elenco.  Conheço a maioria deles e são bons jogadores. O futebol, principalmente o brasileiro, só é bem visto para os primeiros colocados. Meu principal papel aqui é identificar situações de ajustes. Quero o mais rápido possível avaliar isso para colocar o meu conhecimento e a minha experiência profissional – destacou o treinador. 

Julinho chegou, mas não terá o primeiros contato com o grupo de jogadores nesta terça, quando o elenco alviverde se reapresentar. Márcio Angonese comandará a atividade. O novo treinador só assume oficialmente os trabalhos na quarta-feira.

No grupo de atletas, muitos nomes conhecidos e que já trabalharam com o treinador, como o goleiro Matheus Cavichioli, o zagueiro Fred, o meia Fellipe Mateus, o volante Mateus Santana e o atacante Yuri  Mamute. Por isso, Julinho espera fácil adaptação do time com a sua forma de trabalhar:

– Neste elenco que hoje está aqui, tem uns 10 ou 12 jogadores com os quais já trabalhei. Além disso, tive o prazer também de enfrentá-los, praticamente todos eles. O Matheus Cavichioli foi um cria dos juniores do Grêmio. Na época, tínhamos três: ele, o Cássio e o Marcelo Grohe. E não sabíamos qual era o melhor deles. O Matheus tem uma personalidade que me agrada, gosta da competição – relembra o treinador, ao citar os trabalhos pelo Caxias e Veranópolis, nos quais também contou com o goleiro.

Na reta final do Gauchão, o próximo desafio é contra o Grêmio, no domingo, dia 4 de março. Na sequência, a equipe alviverde ainda enfrenta o São José, fora de casa, e fecha a participação na primeira fase diante do Veranópolis, ex-time de Julinho, no Alfredo Jaconi.

Leia Também
Ex-vice-prefeito de Caxias do Sul evita falar sobre saída do PMDB
"A Festa da Uva tem de ser anual", diz ex-candidato a prefeito de Caxias do Sul 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros