Anderson Varejão tem confronto inédito com o Caxias Basquete em seu retorno ao país  - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Entrevista08/02/2018 | 09h00Atualizada em 08/02/2018 | 14h38

Anderson Varejão tem confronto inédito com o Caxias Basquete em seu retorno ao país 

Pivô, campeão da NBA, é a principal atração do Flamengo nesta quinta-feira

Anderson Varejão tem confronto inédito com o Caxias Basquete em seu retorno ao país  Diogo Sallaberry / Agência RBS/Agência RBS
Anderson Varejão, 35 anos, está atuando pela primeira vez no Novo Basquete Brasil Foto: Diogo Sallaberry / Agência RBS / Agência RBS

Em um retorno ao país de onde saiu para brilhar na Europa e nos Estados Unidos, o reconhecimento. Quando deixou o time de Franca, em 2002, para se aventurar no exterior, Anderson Varejão sequer imaginava o quanto sua volta seria comemorada.

NBB10

Hoje, aos 35 anos, ele voltou ao Brasil para defender o Flamengo, mas sabe que é muito mais do que apenas um atleta vitorioso. Varejão é um dos representantes do sucesso do basquete brasileiro no exterior e traz isso para a disputa do NBB 10. E, indiretamente, para todas as cidades que tem o privilégio de recebê-lo. 

Em um time repleto de grandes nomes no cenário nacional, como Marcelinho Machado, Marquinhos, Olivinha e JP Batista, o primeiro brasileiro a disputar duas finais consecutivas por dois times diferentes (Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors) na NBA sabe da responsabilidade que tem na sua volta. O pivô não é só uma referência pelo que pode acrescentar dentro de quadra, mas pelo que o nome “Anderson Varejão” significa para o esporte brasileiro.

A noite desta quinta-feira marcará um momento importante para o basquete caxiense, que recebe pela primeira vez um campeão da NBA. O jogador conversou com o Pioneiro antes da partida contra o Caxias Basquete. Sobre o adversário, Varejão diz que é preciso “jogar firme do início ao fim”. 

Confira outros trechos da entrevista:

Volta ao Brasil

—  Estou gostando bastante. Eu saí muito cedo do país e não tive a oportunidade de atuar diante dos brasileiros, do nosso povo, da nossa galera. Só voltava para jogar pela seleção brasileira. E quando isso acontecia eu me sentia muito bem. Ainda estou me adaptando ao ritmo de jogo e tudo isso, porque não jogava há muito tempo. Mas está muito legal.

 Em vários centros do país

— É muito bacana. Quando novo, não tive a chance de fazer esses jogos por todo o Brasil. Estar de volta, passando por diferentes estados e cidades, faz eu me sentir muito bem. Estou gostando bastante de tudo isso.

Time do Flamengo, liderado por Varejão (C) , busca a liderança do NBB 10Foto: Diogo Sallaberry / Agência RBS

 Flamengo e o jogo contra Caxias

— O time está vivendo um momento bom. Conseguimos uma sequência de vitórias importante. Infelizmente perdemos para o Paulistano, mas já voltamos a ganhar, contra o Joinville. Esperamos fazer um bom jogo amanhã. Sabemos do potencial da equipe aqui de Caxias do Sul e que vamos ter que jogar bem e manter a atenção desde o início. É um time que tem uma mescla boa de jogadores jovens com os veteranos. Tem jogado bem. Ganhou de várias equipes como Mogi e Bauru, e é um time que vamos ter que jogar firme desde o início.

Torcidas adversárias, mas fãs de Varejão

— Fico feliz com esse apoio do torcedor brasileiro. De poder voltar e sentir esse calor humano da torcida. Me deixa feliz e espero que possamos fazer um bom jogo. No final, que vença o melhor.

 Momento da Seleção

— É um momento legal. Foram dois jogos e duas vitórias (nas Eliminatórias para o Mundial). Os próximos serão contra Colômbia e Chile, em Goiânia. Acredito que temos que manter o foco. Cada vez mais entender o sistema de jogo do (Aleksandar) Petrovic, para que possamos conseguir a vaga para a Copa do Mundo da China (em 2019).

Leia também:
Centro Pop promove bloco de carnaval com moradores de rua de Caxias nesta sexta
Zanuzi realiza bloco de carnaval na próxima terça, em Caxias 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros