Jogadores do Caxias pregam calma com a euforia da torcida - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Gauchão 201826/01/2018 | 10h12Atualizada em 26/01/2018 | 10h12

Jogadores do Caxias pregam calma com a euforia da torcida

Arrancada de 100% no Estadual empolga, mas vestiário grená diz estar com os pés no chão

Jogadores do Caxias pregam calma com a euforia da torcida Porthus Junior/Agencia RBS
Alex Willian poderá ter oportunidade contra o São Paulo-RG Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Euforia. Esse é o sentimento que acompanha o torcedor grená após as três vitórias consecutivas – algo que não ocorria desde 2012, quando o clube foi vice-campeão gaúcho. Mas ele não entra no vestiário. Ao menos, o meia Alex Willian, autor do gol da vitória grená sobre o Inter, quarta-feira, garante que o grupo está focado e que há muito caminho pela frente:

— O ( Luiz Carlos, técnico) Winck é muito centrado. Ele passa isso para nós e o grupo é experiente. Tem muito campeonato pela frente, mas deixamos isso (a euforia) para o lado de fora. Deixa nós quietinhos aqui, trabalhando para galgarmos coisas maiores no campeonato.

Estrear com gol e definindo a vitória sobre um dos gigantes do futebol gaúcho foi o melhor cartão de visitas possível para o meia. Mas ele também admite que isso é graças ao treinador. Alex respeitou o pedido de Winck e foi coroado com um gol.

— Ele pediu que eu pudesse chegar mais na área, porque estávamos sem referência no ataque. E aconteceu o que ele disse. Numa jogada em que não tinha ninguém na área, acreditei até o final. O Daniel Cruz falou que tentou chutar e não cruzar. Felizmente a bola sobrou para mim e fui feliz — relembra.

O campeonato segue. Sábado poderá ser a grande oportunidade de Alex Willian colocar uma pulga atrás da orelha do treinador. A tendência é de que o técnico poupe alguns titulares na partida contra o São Paulo-RG, às 20h30min, no Estádio Aldo Dapuzzo. 

Isso se deve ao fato do confronto único pela Copa do Brasil ser na próxima terça-feira, quando a equipe grená receberá o Atlético-PR. Como a vantagem do empate é do visitante, Winck quer força máxima para o duelo no Estádio Centenário.

Porém, como se prega no Caxias, o trabalho é passo a passo, degrau por degrau. Primeiro o time terá que encarar o Leão do Parque, em Rio Grande.

— Todos adversários são difíceis. Temos consciência de que o jogo em Rio Grande será outra pedreira. Vamos lá para tentar pontuar — considera Alex.

Trata-se de uma oportunidade, não só para o meia, mas para todos os jogadores que não estão sendo aproveitados nas primeiras rodadas. 

— Para quem não vem jogando, é como se fosse uma final. Tem que agarrar com unhas e dentes, porque o time que está jogando vem muito bem. Quem entrar tem que render igual ou melhor. Quem for para esse jogo vai dar a vida para conseguir um lugar entre os 11 — afirma Alex Willian.

Leia mais
Após mais de 50 demissões, trabalhadores protestam pela segunda vez na Dambroz, em Caxias

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros