Antônio Carlos Zago fala em Juventude estático e sem lucidez no ataque em Ijuí  - Esportes - Pioneiro
 

Gauchão 201825/01/2018 | 22h10Atualizada em 25/01/2018 | 22h11

Antônio Carlos Zago fala em Juventude estático e sem lucidez no ataque em Ijuí 

Técnico alviverde admite que time com três volantes não funcionou na primeira etapa

Antônio Carlos Zago fala em Juventude estático e sem lucidez no ataque em Ijuí  Arthur Dallegrave / Juventude, Divulgação/Juventude, Divulgação
Goleiro Jonatas (D), do São Luiz, pouco trabalhou na noite de quinta-feira, no 19 de Outubro, em Ijuí Foto: Arthur Dallegrave / Juventude, Divulgação / Juventude, Divulgação

A derrota para o São Luiz, em Ijuí, na última quinta-feira, evidenciou talvez uma escolha errada na formação do Juventude. Quem assume é o próprio técnico Antônio Carlos Zago.

Leia Mais:
Com pouca inspiração, Juventude perde para o São Luiz, em Ijuí
Em busca da segunda vitória, Juventude encara o São Luiz fora de casa
Disposto a "limpar nome", zagueiro Fred é apresentado no Juventude
Gols dos 'novatos' marcam começo do Juventude no Estadual
Pouco mais de 12h depois de vitória na chuva, Juventude se reapresenta no Jaconi
Zago e jogadores do Juventude elencam a raça como razão para a vitória por 3 a 1
 

Depois de dois jogos num 4-2-3-1, com pelo menos quatro jogadores de características ofensivas, o Ju foi a campo com três volantes no meio de campo. Como resultado, um time sem aproximação entre as linhas e raras conclusões em gol.

- No primeiro tempo nossa equipe não conseguiu sair de trás. Não criamos quase nada. No segundo voltamos melhor, tivemos saída de bola. Não aconteceu no primeiro porque ficamos estáticos. Faltou aproximação com os atacantes. Tivemos escolhas erradas de passe. A parte física também não é a ideal – justificou Antônio Carlos Zago.

Para as próximas rodadas, Zago praticamente descartou utilizar novamente este sistema, sobretudo para jogos em casa.

- (Fica a lição de) Não repetir o mesmo erro da formação do primeiro tempo. O gramado era pesado, coloquei três de mais marcação. No segundo tempo, mesmo sem criar oportunidades reais de gol, foi uma equipe diferente. Devagar a equipe vai pegando corpo – explicou.

Como elogio, ficou a atuação do jovem Denner, de 20 anos. Para o técnico, o meia deu novo ânimo à equipe quando entrou, aos 27 minutos da segunda etapa.

- É uma derrota que faz com que a gente repense em algumas coisas. No segundo tempo precisei colocar um menino de 18 anos para chamar o jogo para ele. O Denner entrou bem. Devagar vamos achando as soluções dentro da equipe para conseguirmos classificar - avaliou.

No próximo compromisso, contra o Novo Hamburgo, no Jaconi, o Ju pode ter o reforço de Ricardo Jesus. O centroavante viajou com o time para Ijuí, mas não teve seu nome publicado no BID. Já os zagueiros César Martins e Fred não devem ter condições legais de jogo para domingo, às 18h.

Leia também:
Trabalho intersetorial é apontado como solução para amenizar violência contra moradores de rua em Caxias
Conselho Municipal de Trânsito sugere tarifa de R$ 3,85 para transporte coletivo em Caxias

rom:cms -->
 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros