Fernando: promessa da base do Juventude no time de Antônio Carlos Zago - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Gauchão 201828/12/2017 | 07h00Atualizada em 28/12/2017 | 11h40

Fernando: promessa da base do Juventude no time de Antônio Carlos Zago

Jogador de 19 anos foi uma das novidades na reapresentação alviverde

Fernando: promessa da base do Juventude no time de Antônio Carlos Zago Marcelo Casagrande / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agência RBS / Agência RBS

Mais uma jovem promessa da base alviverde começa a ganhar chance com Antônio Carlos Zago. Natural de Farroupilha, o lateral-esquerdo Fernando, de 19 anos, foi uma das novidades do grupo do Ju na reapresentação do time, na terça-feira.

Titular na equipe sub-20 durante a Copa Ipiranga, no início do mês, Fernando estava na preparação do time do técnico Itaqui para a Copa São Paulo de Futebol Júnior, que começa dia 2 de janeiro. Como Bruno Collaço não renovou e o acerto com Diego, do CRB, não aconteceu, a escolha foi caseira e o jovem foi chamado por Zago.

Ainda tímido na sua primeira entrevista coletiva, o jogador, que chegou ao Juventude com 11 anos, lembrou de quando foi avisado que ingressaria no grupo profissional:

— Eu tinha treinado dois dias com o sub-20 para a Copinha e veio a notícia de que eu subiria.  Uma alegria muito grande ver que o trabalho está sendo reconhecido e estão observando a base.

Do bairro Medianeira, em Farroupilha, até o Jaconi – caminho que Fernando fez quase diariamente nos últimos oito anos – muita coisa passou na cabeça do menino que buscou a oportunidade no time de cima.

— Vim imaginando como seria o clima do vestiário. Mas não muda muita coisa. É a mesma resenha, música para descontrair. Vim pensando em trabalhar muito, para quando tiver uma oportunidade possa corresponder — diz o lateral.

Exemplos dos “experientes”

A situação que Fernando vive  nesse momento foi enfrentada recentemente por outros companheiros. Daqueles que jogaram com ele na base, vêm as principais dicas: 

— Converso com o Raul, com o Caprini, Sananduva e com o Vinícius. Pergunto para eles sobre a adaptação e eles falam que passaram por alguma dificuldade até entrar no ritmo. Eles dizem que depois é bem tranquilo e que os outros jogadores acolhem bem.

Do goleiro Matheus veio o conselho de seguir o caminho.

— Não tem nada de diferente. Aqui ele está no filé mignon do futebol. A picanha é na Europa. Mas ele está no futebol profissional. É ter a mesma desenvoltura e tranquilidade. Tem que subir e fazer aqui o que fazia lá embaixo — diz Matheus.

Além de Fernando, mais alguns jogadores terão essa chance  após a participação alviverde na Copa São Paulo. Pelo menos cinco são cotados para fechar o grupo para o Gauchão.


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros