Pará comemora boa fase no Juventude e chegada da filha Manu - Esportes - Pioneiro

Só alegrias05/11/2017 | 21h14Atualizada em 05/11/2017 | 21h14

Pará comemora boa fase no Juventude e chegada da filha Manu

Lateral alviverde quer fazer seu gol contra o CRB, terça, para presentear a filha que nasceu sábado 

Pará comemora boa fase no Juventude e chegada da filha Manu Arquivo Pessoal/Arquivo Pessoal
Thaíse, Pará e os quatro filhos: Manuela, Rafaela, Matheus e Eduarda Foto: Arquivo Pessoal / Arquivo Pessoal

Pará tem seus motivos para sorrir de orelha a orelha. O fim de semana foi especial para o lateral-esquerdo do Juventude. Começou na sexta-feira, onde depois de cinco jogos sem atuar, voltou a entrar em campo com a camisa alviverde. A vitória por 1 a 0 sobre o Ceará também representou a volta das vitórias do time, após cinco rodadas – justamente o tempo o lateral ficou afastado por conta de uma lesão muscular. A alegria se completou no sábado pela manhã, quando nasceu Manu, a terceira filha do jogador.

O ano de 2017 foi difícil dentro de campo para o lateral. Com duas lesões, que o afastou mais de um turno da Série B, Pará ainda assim teve participação decisiva na campanha alviverde. Das nove partidas em que atuou, o Ju nunca saiu derrotado. Foram seis vitórias e três empates. Ainda assim, o longo tempo fora de campo também foi importante para o jogador, que pode acompanhar o período da gestação da esposa Thaíse.

– Foi bom poder estar perto, conversar com ela, fazer um carinho na barriga. A criança sente. Eu nunca pude acompanhar uma gravidez como foi essa da Manuela – admite Pará, que viaja nesta segunda com o grupo para Maceió, onde enfrentará o CRB, na terça.

Além da partida no nordeste, o Ju enfrenta o Oeste, sexta-feira, no Jaconi. Sair de casa depois de dois dias de nascimento da filha mexe com Pará, mas motiva o lateral a fazer melhor ainda dentro de campo:

– Vou viajar com o coração apertado. Ela sabe que o pai precisa trabalhar. Ela vai estar aqui muito bem cuidada pela mãe, os irmãos e a vó. Agora tem mais um integrante da família, vou ter que correr mais para dar conta dessa turminha.

Agora, para completar a boa fase, só falta a homenagem que Pará pretende fazer para Manu:

– Quero jogar e, se possível, fazer um gol para dedicar à ela. Não consegui fazer na gestação. Quem sabe agora que ela nasceu, não saia.

Com uma filha caxiense de nascimento, Pará deve definir nos próximos dias a permanência no Alfredo Jaconi:

– Quero muito ficar. Há o interesse do clube e meu em ficar. Na outra semana já deve ter alguma coisa para que isso aconteça e eu permaneça.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros