Na despedida do Jaconi na Série B, Juventude empata com Figueirense - Esportes - Pioneiro

Até 201817/11/2017 | 23h22Atualizada em 17/11/2017 | 23h22

Na despedida do Jaconi na Série B, Juventude empata com Figueirense

Sem objetivos no campeonato, equipes não saíram do 0 a 0

Na despedida do Jaconi na Série B, Juventude empata com Figueirense Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O adeus ao ano de retorno à Série B em casa do Juventude foi o resumo dos últimos jogos da temporada alviverde. Sem empolgar, sem emoção, e sem vencer. O empate em 0 a 0 contra o Figueirense, na noite desta sexta-feira, no Estádio Alfredo Jaconi, foi quase um jogo-treino. Com dois times sem vontade e sem objetivos no campeonato, as 2414 voltaram para casa com a expectativa de um 2018 mais empolgante. O time de Antônio Carlos Zago se despede da Segunda Divisão na terça-feira, contra o Santa Cruz, em Pernambuco.

A despedida do Juventude em casa da temporada 2017 foi marcada pelo clima de fim de festa. Antes mesmo do início da partida, do lado de fora do estádio, as torcidas organizadas dos dois times se confrontaram em uma confusão que assustou quem passava pelas ruas do entorno do Alfredo Jaconi.

Se a vontade de brigar era grande na rua, dentro de campo ninguém tinha nada pelo que lutar. O empate no início da noite entre Guarani e Luverdense rebaixou o time matogrossense. Com isso, o Figueirense, que começou a rodada ainda com risco de descenso, garantiu a permanência na Série B na temporada de 2018. Virou um amistoso.

Assim iniciou um primeiro tempo que não empolgou e mostrou dois times pouco preocupados em agradar os corajosos torcedores que saíram de uma sexta-feira a noite de casa.

A primeira chegada mais forte foi do Figueira. Aos 9 minutos, João Paulo recebeu na intermediária de ataque e arriscou. Matheus bem posicionado fez boa defesa. Aos 19, Tiago Marques, que não faz um gol desde o início do returno, até fez. Mas a arbitragem marcou a condição irregular do centroavante alviverde.

Aos 35, novamente Tiago Marques tentou. Após cruzamento de Felipe Lima, Saulo afastou parcialmente. O chute do artilheiro do Juventude na Série B passou próximo da trave esquerda do Figueira. E assim se encerrou o sonolento primeiro tempo.

Não muito mais empolgante começou a segunda etapa. Somente aos 10 minutos que o Juventude tentou, quando Wallacer chutou e a bola foi amortecida por Pereira para defesa de Saulo. Três minutos depois veio a grande chance. Pará cobrou escanteio, Micael cabeceou para ótima defesa do goleiro alviverde. No rebote, Mateus Santana chutou forte e Pereira salvou quase em cima da linha, evitando o gol juventudista.

Aos 19 foi a vez dos visitantes terem um gol impugnado. Ferrugem cruzou da direita e João Paulo mandou para as redes de Matheus, mas estava impedido.

O Figueirense chegou também aos 22, quando o mesmo João Paulo mandou uma bomba e o goleiro do Ju voou no canto direito para espalmar a bola pela linha de fundo. 

A chuva veio, mas o futebol não. E a partir de então foram só tentativas frustradas de lado a lado, incluindo outro gol anulado de Zé Antônio para o Figueirense. Ainda nos acréscimos o time catarinense tentou com Henan, mas Micael evitou que o 0 a 0 saísse do marcador. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros