Adilson Facchin disputa mundial de kickboxing na Hungria - Esportes - Pioneiro

Lutas06/11/2017 | 11h20Atualizada em 06/11/2017 | 11h20

Adilson Facchin disputa mundial de kickboxing na Hungria

Lutador caxiense busca o pódio a partir desta segunda-feira, em Budapeste

Adilson Facchin disputa mundial de kickboxing na Hungria Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

O desafio é entre os melhores do mundo. A partir desta segunda-feira, o caxiense Adilson Facchin, da equipe Fight Center, começa a disputa do campeonato mundial de kickboxing-Wako, em Budapeste na Hungria. As lutas na divisão dos 91Kg, Full Contact, estão entre as mais esperadas do torneio, por envolver os principais lutadores do mundo na categoria. Da Serra, além de Facchin, participa do mundial a árbitra Fernanda Pazini.

Dividido entre a função de administrador da academia, diretor-técnico da Liga Riograndense de Lutas, que não teve a verba do Fiesporte liberada neste ano, e lutador, Facchin sabe das dificuldades que vai encontrar em Budapeste. Depois de uma série de treinamentos intensos, ele se diz pronto para os desafios na Hungria.

— Na minha chave estão os top 10 do ranking mundial. Nas últimas semanas, a preparação foi intensa e de treinamento rigoroso. É um orgulho poder integrar a seleção brasileira em uma disputa de um campeonato desse nível— disse Facchin, que saiu de Caxias do Sul ainda na semana passada rumo à Europa.

Adilson chega na disputa do campeonato mundial como terceiro do ranking. Com cinco conquistas pan-americanas na atual categoria, o caxiense acredita que a preparação poderia ter sido feita em um período maior e com uma qualidade diferenciada, o que se tornou difícil por ter que correr atrás de recursos que já estavam garantidos pelo fomento municipal do esporte. As dificuldades, no entanto, não tiraram o ímpeto do lutador:

— Estou preparado. Enfrentar os melhores do mundo é uma motivação para qualquer um. Vou em busca do pódio novamente.

Na primeira luta Facchin enfrentará o turco Serdar Eroglu. Passando, terá pela frente ou um canadense ou um russo.

A representante da arbitragem brasileira

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (31/10/2017) Lutadores Caxienses representam o Brasil no Exterior. Nas fotos, Adilosn Facchin, Claudio Dalla Rosa (de barba) e Fernanda Pazini demosntram a performance do  Kick Boxing. (Roni Rigon/Pioneiro)
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Além da participação de Adilson lutando, Caxias também está presente entre os juízes do mundial. Fernanda Pazini é a única representante da arbitragem brasileira na Hungria. Aos 29 anos e em seu quarto mundial como árbitra, Fernanda sabe da importância de estar entre os principais nomes da modalidade:

 — É uma grande responsabilidade arbitrar um Mundial. Ao mesmo tempo, é uma grande satisfação ser reconhecida internacionalmente e estar entre os melhores do mundo, contribuindo para o desenvolvimento do Kickboxing.

Fernanda comandará lutas em todas as modalidades: Full Contact,  K1 Rules e Low Kicks. Além dos mundiais, a caxiense também arbitrou na etapa da Copa do Mundo da Rússia, em 2012.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros