Com técnico interino, Juventude busca volta das vitórias contra o Náutico - Esportes - Pioneiro

Série B24/10/2017 | 07h55Atualizada em 24/10/2017 | 07h55

Com técnico interino, Juventude busca volta das vitórias contra o Náutico

Márcio Angonese será o comandante alviverde a partir das 19h15min, no Alfredo Jaconi, pela 32ª rodada

Com técnico interino, Juventude busca volta das vitórias contra o Náutico Porthus Junior/Agencia RBS
Márcio Angonese (E) e Fernando Rech serão os comandantes do Juventude diante do Náutico Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Uma momento diferente para quem conhece muito o Juventude. Márcio Angonese, ex-jogador, cria das categorias de base e atual preparador de goleiros alviverde, terá a primeira experiência como técnico. Interino, comanda a equipe nesta terça-feira, às 19h15min, no Alfredo Jaconi, contra o Náutico.

É a opção até que o substituto de Gilmar Dal Pozzo, demitido no sábado, seja escolhido pela diretoria. A oportunidade, no entanto, é apenas uma forma de Angonese ajudar o clube neste momento.

— Foi feito esse pedido para que pudesse colaborar. Não sou treinador e nem  sou técnico  — diz Márcio, que não se exime da responsabilidade por fazer um time diferente diante do Náutico:

— Houve mudança na comissão e temos que mudar as formas que estávamos pensando os jogos para voltar a vencer.

No melhor estilo Antônio Carlos Zago, um dos candidatos a assumir o comando do Juventude, Angonese não fechou o treino da tarde da segunda-feira, mas não deu pistas sobre a escalação que vai a campo.

— Tem time definido, tem mudança, tem o esquema tático, mas amanhã (hoje) vocês vão saber. Quem vai jogar, já sabe que vai — disse o interino, que realizou apenas um recreativo com o grupo de jogadores.

Em relação ao que vinha sendo apresentado pelo time de Gilmar Dal Pozzo, Márcio Angonese quer um Juventude mais propositivo em campo, que não fique esperando tanto as ações do adversário:

— Temos que ter mais a posse de bola, propor mais o jogo. Temos condições disso. Por isso, a mudança da formação.

Aos 43 anos, Márcio Angonese vive o Juventude desde as categorias de base. Participou do grupo que ascendeu para a primeira divisão nacional, em 1994. Saiu do clube em 1997. Retornou em 2001 e depois em 2003 e 2004. Rodou por outros 10 clubes até encerrar a carreira no Criciúma, em 2009.

O retorno para o Alfredo Jaconi foi como preparador de goleiros. Da base e também do profissional. Ajudou a formar e trabalhou com vários nomes importantes que defenderam a camisa 1 alviverde nos últimos anos e, por isso, tem a certeza de que estará à frente da equipe por um breve período.

— Metade da minha vida passei aqui dentro. Não passa pela minha cabeça ter uma sequência como técnico. Me sinto muito bem na minha função. Sou muito mais útil na preparação de goleiros, pensando em um futuro para o clube.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros