Com gols de Paulinho e Coutinho, Brasil de Tite bate o Equador e garante a liderança definitiva - Esportes - Pioneiro

Eliminatórias da Copa31/08/2017 | 23h40Atualizada em 01/09/2017 | 00h32

Com gols de Paulinho e Coutinho, Brasil de Tite bate o Equador e garante a liderança definitiva

Já garantida no Mundial de 2018, Seleção Brasileira venceu por 2 a 0 na Arena do Grêmio

Com gols de Paulinho e Coutinho, Brasil de Tite bate o Equador e garante a liderança definitiva Porthus Junior/Agencia RBS
Paulinho (E) abriu o placar nesta quinta em Porto Alegre Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Não foi fácil superar a barreira equatoriana. Mas com tranquilidade e a eficiência dos coadjuvantes da Seleção, o Brasil do caxiense Tite bateu o Equador por 2 a 0, na noite desta quinta-feira, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Com o resultado, o treinador continua com 100% de aproveitamento nas Eliminatórias.

Além disso, a diferença na liderança foi ampliada para 11 pontos e não pode mais ser alcançada por outra seleção. O Brasil soma 36 contra 25 da Colômbia, rival da próxima terça-feira, às 17h30min, em Barranquilha.

Na noite de quinta-feira, mais uma demonstração de que Adenor Leonardo Bachi é uma unanimidade. Antes mesmo da bola rolar, durante o anúncio da escalação, Tite foi tão aplaudido quanto Neymar, Gabriel Jesus e o gremista Luan. Campeão por Veranópolis, Caxias, Grêmio e Inter, o treinador voltava ao seu Estado em seu novo patamar, como comandante da Seleção. Pertinho de casa, com muitos amigos e fãs nas arquibancadas, ele e seus comandados não decepcionaram.

A primeira etapa foi truncada e mostrou um time equatoriano mais disposto a marcar e parar o jogo com faltas do que esboçar algum contra-ataque. O Brasil era mais incisivo e tentava furar o bloqueio. Aos sete,o novo jogador do Barcelona mostrou suas credenciais. Como fosse Neymar, Paulinho pressionou a saída da defesa boliviana, limpou três defensores com extrema habilidade e finalizou cruzado para grande defesa de Banguera.

Neymar não marcou, mas também não deixou de dar espetáculo Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Logo na sequência, Neymar tocou para Willian na entrada da área. O meia do Chelsea tentou colocar no canto, mas a bola saiu rente à trave.O domínio territorial da equipe de Tite era absoluto. Já os equatorianos só tentavam alguma investida em lançamentos longos para Enner Valencia. Sempre controlados por Marquinhos ou Miranda.

A insistência dos Equador em parar Neymar com faltas passou a incomodar o time brasileiro. E Tite, a todo momento, chamava Renato Augusto para novas orientações. Era preciso maior velocidade para encontrar espaços.

Aos 32, Gabriel Jesus girou sobre o zagueiro e bateu firme para o gol. Banguera salvou de novo.No minuto seguinte, bela triangulação pelo meio e Casemiro finalizou de longe. O goleiro equatoriano defendeu em dois tempos. O restante da primeira etapa foi de muita disputa, cera equatoriana e nenhuma chance criada.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Após o intervalo, com Thiago Silva na vaga de Miranda, o Brasil continuou encontrando dificuldades diante de um adversário satisfeitíssimo com o empate. Com os craques bem marcados, era preciso aparecer algum coadjuvante. Paulinho era o mais eficiente dos volantes e tentava encontrar espaços, mas sem sucesso. Aos nove, Daniel Alves arriscou de fora da área, mas errou a pontaria.

Aos 11, o lateral-direito acertou o pé e fez um cruzamento perfeito para Gabriel Jesus. A cabeçada do camisa 9 parou em Banguera. Logo depois, Neymar fez o lançamento para Renato Augusto escorar para o meio da área.A zaga evitou que Jesus abrisse o placar.

Com Philippe Coutinho na vaga de Renato Augusto, Tite mudou a característica do meio-campo e deu ainda mais criatividade ao time. O resultado foi imediato. Troca de passes rápidos no meio, e a triangulação entre Coutinho, Jesus e Neymar quase acabou em golaço do craque do PSG.

Aos 23, não teve jeito. E o gol saiu com o homem de confiança de Tite. Escanteio cobrado da direita, a bola passou pela defesa e sobrou limpa para Paulinho, que teve tempo de dominar antes de finalizar firme, da marca do pênalti, sem chances para o goleiro: 1 a 0.

O gol abriu a porteira. Willian, em chute de pé esquerdo, e Neymar, no rebote, obrigaram Banguera a praticar dois milagres.

O segundo era questão de tempo. E saiu aos 30. Coutinho lançou Gabriel Jesus, que deu um balãozinho sensacional no zagueiro dentro da área e escorou para o próprio Coutinho finalizar no contrapé do goleiro: 2 a 0 e festa da torcida na Arena.

Com a vantagem e a vitória assegurada, Tite ainda atendeu aos pedidos incessantes do torcedor e colocou o gremista Luan em campo. Neymar ainda tentou o terceiro, mas errou o alvo. Mesmo assim, a festa estava completa. 

Garantido na Copa, o Brasil deu mais um belo espetáculo e mostrou que os guris de Tite chegarão à Rússia afiados em busca do hexacampeonato.

 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros