Sem a verba do Fiesporte, bicampeã MGA Games confirma desistência do Estadual feminino de futsal - Esportes - Pioneiro

Esporte sem apoio14/07/2017 | 07h20Atualizada em 14/07/2017 | 07h20

Sem a verba do Fiesporte, bicampeã MGA Games confirma desistência do Estadual feminino de futsal

Equipe caxiense também desistirá do torneio sub-20 e precisará pagar multa

Sem a verba do Fiesporte, bicampeã MGA Games confirma desistência do Estadual feminino de futsal Porthus Junior/Agencia RBS
Presidente Mimo Borges lamenta o fim de um sonho que levou time ao bicampeonato gaúcho no futsal feminino Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Um sonho de mais de 16 anos da dona Lurdes Lopes Borges, falecida há seis anos, e que nesta quinta-feira teve sua maior derrota na história. A MGA Games, atual bicampeã estadual de futsal feminino, anunciou que com o indeferimento dos projetos selecionados no Fiesporte deixará a edição deste ano do Campeonato Gaúcho, que já está em andamento, por falta de recursos para manter a equipe.

O filho da dona Lurdes, Mimo Borges, presidente da MGA, lembrou das dificuldades do começo do trabalho e do quanto importante foi o Fiesporte para o time.

– Foi um projeto que minha mãe começou. E a gente iniciou com coletes de saco de batata. A bola, a gente fazia do que dava para os meninos darem uns chutezinhos. Quando veio o Fiesporte e tivemos os projetos aprovados, foi fundamental. Muito mesmo. Nós estávamos indo para o quarto ano do financiamento – lamenta Mimo.

Além do fator esportivo, por sair no meio de um campeonato, a MGA Games terá prejuízos financeiros com a desistência do Estadual. Além de não poder participar por dois anos de competições da categoria, o time do bairro Planalto terá que pagar uma multa de R$ 15 mil.

– A gente está sem chão. Despedaçado por dentro. O futsal feminino trouxe uma alegria para Caxias do Sul. A gente ia jogar a Taça Brasil em Minas Gerais. As meninas que a gente têm aqui são umas joias raras. Elas merecem todo o respeito. Elas conquistaram. Trouxeram torcida para dentro do Enxutão. Elas treinavam das 22h à meia-noite. Dormiam três ou quatro horas. Trabalham, estudam e vêm treinar – conta o presidente da entidade, que garante a sequência do trabalho do clube, lamentando não poder atender todas as categorias:

– A gente tem que seguir com as crianças, que foi o nosso início, nas escolinhas. Vamos continuar com elas até se restabelecer de novo para voltar forte. Eu sou um metalúrgico. Não tenho condições de manter as meninas no Estadual. Há muitas viagens e não temos patrocínios.

Do prefeito Daniel Guerra, Mimo lembra de uma passagem que vai de encontro com o comportamento do agora prefeito:

– Quando a gente estava indo para Uruguaiana, na final do Estadual do ano passado, ele nos mandou um áudio, torcendo para que o título viesse para Caxias do Sul, que era muito importante. E dizendo que o esporte em Caxias tinha que ser valorizado. O que é fato neste momento é que está sendo prejudicado o esporte da cidade.

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros