Preparação física e elenco reformulado: como o Juventude se reconstruiu para a Série B - Esportes - Pioneiro

Um novo Ju08/06/2017 | 15h30Atualizada em 08/06/2017 | 20h59

Preparação física e elenco reformulado: como o Juventude se reconstruiu para a Série B

Depois de campanha fraca no Gauchão, time tem largada empolgante na Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro

Preparação física e elenco reformulado: como o Juventude se reconstruiu para a Série B Arthur Dallegrave/Juventude/Divulgação
Tiago Marques já marcou três gols pelo Juventude na Série B Foto: Arthur Dallegrave / Juventude/Divulgação

A campanha do Juventude no Gauchão gerou um clima de apreensão em Caxias do Sul. Apenas sexto colocado na fase de classificação, com meros 42% de aproveitamento, foi eliminado nas quartas de final pelo rival Caxias com derrotas nos dois clássicos. Dois meses depois da desclassificação no Estadual, o cenário mudou quase completamente. O time é o único invicto da Série B e lidera o campeonato, com 11 pontos em cinco jogos — e uma campanha de cartilha, com vitórias no Alfredo Jaconi e empates fora, que incluíram um jogo no Beira-Rio diante do Inter.

— O primeiro ponto foi a troca do preparador físico. O Juventude contratou o Anselmo Sbragia, que trabalhou até na Seleção (auxiliar de Paulo Paixão). No Gauchão, o time teve muitas lesões musculares — analisa Eduardo Costa, da Rádio Caxias.

Leia mais:

Torcedor Jaconero: um líder que ainda não se sente líder
Leonardo Oliveira: o futuro de Ramiro pode mudar o ano do Juventude
Reserva na Chapecoense, Elias fez só oito jogos nesta temporada

Na avaliação de Adão Júnior, repórter do jornal Pioneiro e da Rádio Gaúcha Serra, a nova preparação física dá ao time poder de reação durante os jogos.

— O time está mais competitivo, justamente pela questão física. No Gauchão, a equipe não tinha força, porque a preparação física foi mal feita desde a pré-temporada. Com a preparação física ajustada depois da parada, o Juventude tem força para virar partidas. Virou duas no Jaconi, empatou com o Inter depois de sair perdendo — relembrou.

Outro ponto importante no crescimento do Juventude foi o tempo de trabalho para o técnico Gilmar Dal Pozzo. O treinador assumiu depois da demissão de Paulo César Parente, entre a sexta e a sétima rodadas do Gauchão. Com a pausa entre o fim do Estadual e o início da Série B, o clube se reforçou — inclusive com jogadores de confiança do técnico — e ganhou corpo.

Entre os reforços, estavam três campeões gaúchos pelo Novo Hamburgo: o goleiro Matheus, o meia Juninho e o atacante João Paulo. O artilheiro do time na campanha até agora também foi contratado. Tiago Marques, que já fez três gols no Campeonato Brasileiro, havia jogado o Paulistão pela Ferroviária.

— A qualidade do elenco melhorou muito. O Matheus entrou como uma luva no time. Juninho e Ramón (ex-Ponte Preta) também estão indo bem. Não sei se vai ter força para subir, mas o Juventude fez o elenco para se manter, e me parece que não vai ser fogo de palha — complementa Adão.

No sábado, às 16h30min, o Juventude tenta manter a invencibilidade fora de casa ao enfrentar o Boa, no Estádio Municipal de Varginha, em Minas Gerais.

*ZHESPORTES

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros