Na primavera fria de Moscou já se percebe a atmosfera de Copa do Mundo - Esportes - Pioneiro

Direto da Rússia11/06/2017 | 20h22Atualizada em 14/06/2017 | 20h14

Na primavera fria de Moscou já se percebe a atmosfera de Copa do Mundo

Eduardo Gabardo desembarcou na noite deste domingo na capital do Mundial para conferir como ela está a um ano da abertura do evento

Na primavera fria de Moscou já se percebe a atmosfera de Copa do Mundo Eduardo Gabardo / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Eduardo Gabardo / Agência RBS / Agência RBS
Eduardo Gabardo - direto da Rússia
Eduardo Gabardo - direto da Rússia

eduardo.gabardo@rdgaucha.com.br

A Rússia espera 3 milhões de turistas na Copa de 2018. Ao contrário da França em 1998, e da Alemanha, em 2006, desta vez os aeroportos serão não só a porta de entrada, mas também o caminho para fazer os deslocamentos entre as sedes do Mundial. Mas é bom se preparar para enfrentar alguns obstáculos, como conferiu a RBS em sua chegada a Domodedovo, um dos dois aeroportos de Moscou, na noite deste domingo.

A primeira impressão na chegada ao Domodedovo é de um aeroporto com pouca sinalização na área do desembarque. No caminho entre a porta de saída do avião e a sala de controle do passaporte tudo é um pouco confuso. Os poucos funcionários não deram conta de atender a todos que buscavam informações.

Leia mais:
ESPECIAL: conheça as cidades e estádios da Copa da Rússia


Dezenas de homens com o passaporte do Uzbequistão na mão trataram de aumentar a confusão se empurrando em busca de um melhor lugar, sem respeitar a fila formada. Em meio ao buruburinho provocado pelos uzbeques, encontrar alguém que fale mais de 10 palavras em inglês não foi tarefa fácil.

Chegando ao saguão, já dá para perceber um pouco a atmosfera da Copa, cuja data de um ano para seu início será comemorada na quarta-feira. Cartazes exibindo o logo do Mundial decoram o ambiente. Em um ponto muito bem localizado, estão instaladas máquinas para que os torcedores imprimam os ingressos comprados para a Copa das Confederações, que começa no sábado.

Uma sala com a presença de voluntários do Comitê Organizador serve de ponto de apoio aos torcedores recém-chegados. Na fila do táxi, encontramos novamente certa dificuldade de comunicação. Poucos motoristas falavam o inglês.

No longo trajeto de 42 quilômetros entre Domodedovo e a região central de Moscou, muitas placas com o logotipo da Copa entram na paisagem de Moscou. Sem o trânsito congestionado que é marca da cidade, o táxi levou 35 minutos até o hotel. Mesmo às portas do verão, a noite era fria. Por volta da meia-noite, fazia 13ºC.

Além do Domodedovo, Moscou oferece como alternativa o Sheremetyevo, outro grande aeroporto da cidade, que recebeuve um investimento de 250 milhões de euros e ganhou novas instalações que melhoraram o serviço e o conforto dos passageiros.

A melhoria nos aeroportos faz sentido. Mesmo que a Copa de 2018 fique concentrada no oeste russo, com apenas uma sede na porção asiática, Ekaterimburgo, será impossível fazer deslocamentos rápidos sem usar avião. Tudo devido ao tamanho continental do país.

Algumas cidades são ligadas por transporte ferroviário de qualidade, como Moscou e São Petersburgo, mas o governo investiu bastante na remodelação dos aeroportos prevendo uma movimentação acima da média. Os terminais dos moscovitas Domodedovo e Sheremetyevo é que devem ser a primeira porta dos milhares de turistas esperados em 2018.

Leia todas as notícias sobre a preparação para a Copa da Rússia

Foto: Arte / ZH



 
 

Siga @pioneiroonline no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.com3por4: Ale Amorin participa de Exposição Vinte e Cinco Vezes Duchamp, em Porto Alegre https://t.co/xgGSEULYuv #pioneirohá 5 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comConhece O Lenheiro? Desafiada pelo Pioneiro, agência caxiense fez comerciante de lenhas bombar no Facebook https://t.co/188itomY49 #pionei…há 5 horas Retweet
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros