Joia rara da base do Juventude, atacante Pedro Bitencourt é talento caxiense na seleção brasileira sub-15 - Esportes - Pioneiro

Futebol29/06/2017 | 21h26Atualizada em 30/06/2017 | 15h18

Joia rara da base do Juventude, atacante Pedro Bitencourt é talento caxiense na seleção brasileira sub-15

Garoto de 14 anos vive a expectativa da terceira convocação para o selecionado nacional

Joia rara da base do Juventude, atacante Pedro Bitencourt é talento caxiense na seleção brasileira sub-15 Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Pedro Arthur Bitencourt em sua primeira entrevista da carreira Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Olhando para a relação dos últimos convocados da seleção brasileira sub-15 de futebol, nomes desconhecidos do público em geral, como Alejandro, Kaká, Lázaro, Miguel e Pedro Arthur, todos atacantes. Porém, o anônimo de hoje pode ser o craque do futuro. E nesta lista tem um caxiense que joga no Juventude e que já passa a ser considerado como a mais nova joia rara das categorias de base do Jaconi.

Aos 14 anos, Pedro Arthur Bitencourt já foi chamado duas vezes para treinos na Granja Comary e vive a expectativa de ser selecionado para o Sul-Americano do Chile, em novembro, um mês depois de seu aniversário (9 de outubro).

— Quase nem acreditei quando fui convocado pela primeira vez. O Fernando Rech, do Juventude, me chamou na salinha e avisou. Não caiu a ficha. Fiquei muito orgulhoso de mim e de dar orgulho para a minha mãe também. Quando cheguei lá no Rio, minha nossa. No café da manhã, tinha pão com ovo. No almoço, meu Deus do céu, eu queria repetir umas três vezes. O campo quatro era igual ao dois e ao um, é tudo perfeito – disse o garoto em suas primeiras entrevistas da carreira, nesta quinta-feira, na Rádio Gaúcha Serra e na live do Pioneiro no Facebook.

Desde 2009, com o meia Zezinho, que hoje atua no Paraná, o Ju não tinha um jogador da base com grandes chances de disputar um Sul-Americano. Naquela ocasião, Zezinho foi campeão sub-17 no Chile ao lado do meia-atacante Phillipe Coutinho, titular na atual Seleção Brasileira de Tite. No Mundial, também em 2009, o Brasil de Zezinho foi eliminado na primeira fase, mesmo com os acréscimos de Casemiro e Neymar, craques e hoje consagrados mundialmente no Real Madrid e Barcelona, respectivamente.

— Quem não sonha com a Europa, né? Eu também sonho. O time que eu mais gosto é o Borussia Dortmund, da Alemanha. Gosto muito do Marco Reus. Quando ele joga, brilha o olho. Mas meu foco agora é no Juventude – revela Pedro, que tem a velocidade pelos flancos e o drible como trunfos.

Até os nove anos, ele praticava futsal na escolinha do Vasco da Gama, de Caxias do Sul, e a partir de 2010 começou a fazer a transição para o campo. Melhor escolha, impossível. De lá para cá, virou artilheiro, foi para a Granja Comary em junho e se candidata a ser figura carimbada nas seleções de base:

— A próxima convocação é dia 9 de julho. Tomara que eu esteja lá. Quero ser campeão gaúcho e ir para o Sul-Americano.

Aluno da Escola Municipal Arnaldo Ballve, Pedro gosta de escolher os times na Educação Física. Já na seleção brasileira sub-15 começa a se acostumar a trocar passes com jovens talentos de Palmeiras, Flamengo, Grêmio, Inter, Santos, Fluminense, Corinthians, São Paulo, Cruzeiro e outros grandes clubes do país.


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros