Gilmar Dal Pozzo faz análise da intertemporada do Juventude e projeta time forte para a Série B - Esportes - Pioneiro

Série B02/05/2017 | 10h00Atualizada em 02/05/2017 | 15h22

Gilmar Dal Pozzo faz análise da intertemporada do Juventude e projeta time forte para a Série B

Treinador espera equipe mais preparada fisicamente e organizada para a disputa do Brasileiro

Gilmar Dal Pozzo faz análise da intertemporada do Juventude e projeta time forte para a Série B Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Juventude realiza nesta quarta primeiro amistoso da intertemporada contra o Ypiranga. Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Depois de um Gauchão irregular, com vitória e boa atuação sobre o Inter na estreia, uma goleada sofrida para o Grêmio e as derrotas consecutivas em clássicos, o técnico Gilmar Dal Pozzo promete um Juventude diferente na Série B do Brasileiro:

— Vai ser um Juventude forte fisicamente, organizado tática e tecnicamente. Um time com intensidade e qualidade. Esses são os conceitos que eu trabalho. E vamos jogar da mesma forma no Jaconi e fora do Jaconi.

A convicção em uma performance melhor a partir de agora está mais relacionada ao trabalho na intertemporada do que a um time inteiro de reforços.
 
— Estamos aproveitando da melhor forma possível. Os trabalhos estão sendo intensos. Priorizamos a parte física no início para dar um lastro e uma base boa para o campeonato inteiro. Depois, entramos na parte tática e técnica e está sendo bem proveitoso — justifica Dal Pozzo.

O treinador faz uma radiografia do Juventude no Campeonato Gaúcho e diz que os problemas serviram de alerta para um planejamento bem diferente para a Série B. E não se exime da campanha irregular no primeiro semestre:

— Se olhar para os números, foi o pior aproveitamento que eu fiz com um time, cerca de 30%, 35%. Mas a gente sabe o porquê. Teve a questão física e outras consequências que atrapalharam. Nós ficamos muito abaixo em tudo: planejamento, atletas, direção, e eu me incluo também. Todo mundo ficou abaixo do que poderia fazer, não há um único culpado.
 
Quanto aos reforços, o técnico não se mostra com pressa em resolver tudo antes da estreia:

— O campeonato é longo, são 38 rodadas. Só vai ficar no grupo quem estiver comprometido, envolvido e com desempenho. Com certeza, vamos fazer alguns ajustes no grupo durante o campeonato. Procuramos trazer atletas que estavam ou estão em atividade e em momento bom em seus clubes. Então, temos que esperar quem ainda está jogando. Não adiantava trazer quem estava parado.

A única lamentação é o desacerto com o meia Rafael Bastos.

— Conseguimos atrair o Rafael Bastos, mas no fim não deu. A gente fica triste porque é um jogador diferenciado. Mas não adianta lamentar agora. Já fomos atrás de uma outra alternativa e um meia vai chegar logo — informa Dal Pozzo.

Quanto ao time da estreia, dia 12, contra o Luverdense, no Jaconi, a ideia é manter a base do Gauchão e apostar em soluções pontuais. Amanhã e no sábado, nos amistosos contra o Ypiranga, em Caxias do Sul, um novo Juventude vai começar a tomar forma. E, ao que Dal Pozzo indica, uma equipe bem mais confiável.

— No primeiro amistoso, provavelmente vou usar duas formações, uma em cada tempo, para dar oportunidades a todos. No segundo, a ideia é segurar mais e já utilizar praticamente a equipe da estreia.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros