Caxias vence no tempo normal por 1 a 0, mas perde para o Inter nos pênaltis e fica fora da decisão do Estadual - Esportes - Pioneiro

Colorado na decisão23/04/2017 | 18h22Atualizada em 23/04/2017 | 18h26

Caxias vence no tempo normal por 1 a 0, mas perde para o Inter nos pênaltis e fica fora da decisão do Estadual

Júlio César marcou gol na primeira etapa e Gilmar desperdiçou pênalti no segundo tempo

Caxias vence no tempo normal por 1 a 0, mas perde para o Inter nos pênaltis e fica fora da decisão do Estadual Fernando Gomes/Agencia RBS
Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Em uma decisão brigada, nervosa e definida apenas nos pênaltis, o Inter ficou com a vaga na final do Gauchão. Durante o tempo regulamentar no Estádio Centenário, o Caxias teve grande atuação, fez 1 a 0 com gol de Júlio César e ainda perdeu um pênalti na segunda etapa, com o centroavante Gilmar. No mesmo lance, Brenner foi expulso e o Inter passou boa parte da segunda etapa com um a menos.

Nos pênaltis, o Inter teve 100% de aproveitamento, com D'Alessandro, Cuesta, Valdívia, Nico López e Diego. No Caxias, Jajá, Reis e Júlio César marcaram, mas Marlon parou no goleiro Keiller. Na decisão, o time de Zago encara Grêmio ou Novo Hamburgo, que lutam pela outra vaga neste domingo à noite, no Estádio do Vale.

O jogo no Centenário começou quente. Com pouco mais de um minuto, Marabá e D¿Alessandro se desentenderam após falta na intermediária e foram advertidos pela arbitragem. Aos quatro, Marcelo Lomba foi cobrar tiro de meta e sentiu uma lesão muscular. O goleiro foi substituído por Keiller, de apenas 20 anos, e que ainda não havia atuado no time principal.

Confira a galeria de fotos da partida

Com uma marcação alta e muita disposição, o time grená era melhor. Aos 13, Gilmar fez grande jogada pela meia esquerda e virou para Thiago Machado finalizar forte e testar Keiller, que fez defesa segura. Aos 17, Júlio César fez linda inversão de jogo para Wagner, que demorou para chutar ao gol e perdeu boa chance.

Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

O Inter só foi levar perigo aos 21. Em uma bobeira defensiva da equipe grená, Dourado deixou Edenílson cara a cara com Lúcio. O ex-jogador do Caxias driblou o goleiro, mas chutou na trave. O lance foi a única finalização perigosa do time em todo primeiro tempo. Logo na sequência, Nico López foi lançado às costas da zaga, mas Lúcio saiu da área e tirou de cabeça.

Aos 25, apareceu a qualidade do camisa 10 grená e um pequeno gigante. Aos 25, Wagner teve liberdade e cruzou com perfeição da direita. Júlio César, nas costas de Alemão, nem precisou subir muito para cabecear no canto de Keiller e abrir o placar: 1 a 0.

Dois minutos depois, Júlio César dominou na área, girou e finalizou nas mãos do goleiro do Inter. Concentrado e empurrado pela torcida grená, o time de Winck não deixava os comandados de Antônio Carlos Zago respirarem. Aos 29, Reis recebeu na ponta direita, puxou para o meio, mas o chute saiu fraco.

Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Em uma das poucas chegadas do visitante, Nico López tentou driblar Laércio na área e a bola bateu na mão do zagueiro. Daniel Nobre Bins mandou seguir. No lance seguinte, em falta próxima à área, Reis mandou a bola rente à trave. Com uma grande atuação, o Caxias acabou a primeira etapa sendo aplaudido de pé pelo torcedor.

No retorno dos vestiários, o Inter voltou disposto a mudar o cenário da partida. Esboçou uma pressão, que foi neutralizada em um primeiro momento pelo Caxias. Se o time colorado tentou avançar as linhas de marcação, cedeu contra-ataques. E o time de Winck era sempre perigoso em suas chegadas com o trio Júlio César, Reis e Gilmar. 

Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Aos 13, após grande jogada colorada pela direita, Brenner finalizou de primeira e Lúcio fez grande defesa junto à trave. No minuto seguinte, outra boa triangulação, Alemão escorou de cabeça o cruzamento da esquerda e Uendel, na marca do pênalti, finalizou por cima.

Com Marlon na vaga de Wagner, que saiu contrariado, Winck tentou dar um novo gás ao ataque grená. E no primeiro lance efetivo do meia, ele roubou a bola de Léo Ortiz e foi puxado na entrada da área. Pênalti claro e marcado. Na reclamação, Brenner empurrou o árbitro e foi expulso. Na cobrança, Gilmar bateu no canto direito e Keiller fez grande defesa, incendiando a torcida colorada. 

O jogo ficou mais aberto. Com um a mais, o Caxias chegou de novo aos 32, em cabeçada de Marlon que passou perto da trave. Na reta final da partida, as duas equipes passaram a ter mais precauções do que buscar o ataque na euforia. Zago tentou Valdívia. Winck respondeu com Jajá. No final das contas, a decisão foi para os pênaltis, em duelo entre dois goleiros reservas.

O Inter cobrou primeiro com D'Alessandro. O argentino bateu firme no canto: 1 a 0. Na comemoração, provocou a torcida grená e armou uma confusão generalizada, com a entrada do médico do Caxias em campo. Depois dos ânimos se acalmarem, Jajá bateu, deslocou Keiller e empatou. 

Victor Cuesta repetiu D'Alessandro e marcou o segundo. Reis cobrou e voltou a igualar. Valdívia era o próximo e Lúcio chegou a encostar na bola antes dela morrer na rede. Marlon, outro especialista nas bolas paradas, bateu rasteiro no canto direito, mas Keiller defendeu: 3 a 2 para os colorados.

Na quarta cobrança, Nico López cobrou bem e ampliou a vantagem. Júlio César manteve o Caxias vivo com um chute forte, no meio do gol. Só que Diego anotou o último do Inter e classificou o colorado, em uma festa como fosse conquista de campeonato.



 
 

Siga @pioneiroonline no Twitter

  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.comOrquestra de Sopros de Caxias do Sul será homenageada pela Câmara https://t.co/TZTj1r273J #pioneirohá 6 horas Retweet
  • pioneiroonline

    pioneiroonline

    Pioneiro.com4ª edição do Dia da Toalha ocorre nesta quinta, em Caxias https://t.co/ifl3GE7rh7 #pioneirohá 6 horas Retweet
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros