Zé Victor Castiel: "Responsabilidade do ídolo" - Esportes - Pioneiro

Paixão Colorada29/03/2017 | 08h00Atualizada em 29/03/2017 | 08h01

Zé Victor Castiel: "Responsabilidade do ídolo"

Zé Victor Castiel: "Responsabilidade do ídolo" JUAN MABROMATA / AFP/AFP
Foto: JUAN MABROMATA / AFP / AFP
Zé Victor Castiel
Zé Victor Castiel

castiel.ze@gmail.com

A gritaria na Argentina é grande contra a punição de quatro jogos a Lionel Messi. O craque argentino xingou um bandeirinha depois do jogo contra o Chile. "La Pulga" violou o artigo 57 do Código Disciplinar da Fifa ao "pronunciar palavras injuriosas contra um árbitro assistente".

O jornal Clarín, de Buenos Aires, vê indícios de conspiração: "O brasileiro da Conmebol que forçou a punição a Messi", estampava ontem, em um dos títulos da capa do site. O vilão seria Wilson Seneme, presidente da Comissão de Árbitros da Confederação Sul-americana de Futebol.

Entendo a choradeira dos hermanos. Perder seu maior craque nunca é bom. Não é bom para o espetáculo, para os torcedores, para os patrocinadores. Um jogo sem Messi perde valor e atratividade. Mas a vida não é apenas isso. Se os xingamentos envolvendo a parte íntima da mãe de um bandeirinha tivessem sido ditos por um jogador qualquer, seria igualmente condenável, mas teria bem menos repercussão.

Ídolos têm responsabilidades maiores. Eles servem de exemplo para milhões de pessoas. Por isso, tudo o que fazem chama mais atenção e tem consequências mais amplas. Neymar demorou para aprender isso.

A superexposição de Messi, fruto do seu talento, é a mesma que garante milhões de dólares em contratos publicitários e o status de semidivindade em todo o planeta. Ao ofender o bandeirinha depois do jogo vencido pela Argentina, o craque argentino, por um instante, parece ter esquecido de quem ele é e o que representa.

Decisão merece aplausos

Em uma favela na Índia, num morro brasileiro, numa rua de Nova York ou na praia em Tel Aviv. Sempre tem alguém com uma camiseta número 10 do Barcelona ou da seleção da Argentina. Por isso, também, Messi foi punido. Por tudo que representa para o futebol e por tudo que não deve representar. Lamento que o craque não possa jogar, mas aplaudo a decisão. O futebol é bem mais do que um jogo. E os ídolos precisam entender a sua real dimensão.

Leia outras colunas da Paixão Colorada


 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros