"É o time da Série B do Brasileirão. Então, o favoritismo é deles", diz o técnico do Caxias sobre o Ca-Ju - Esportes - Pioneiro

Gauchão 201730/03/2017 | 00h42Atualizada em 30/03/2017 | 00h45

"É o time da Série B do Brasileirão. Então, o favoritismo é deles", diz o técnico do Caxias sobre o Ca-Ju

Mata-mata das quartas de final começa no final de semana. Clássico de ida é no Alfredo Jaconi

"É o time da Série B do Brasileirão. Então, o favoritismo é deles", diz o técnico do Caxias sobre o Ca-Ju Edson Castro / Especial/Especial
Winck projetou o Ca-Ju com tranquilidade Foto: Edson Castro / Especial / Especial
Pioneiro
Pioneiro

A partir de agora, tudo é clássico Ca-Ju. Após o empate de 0 a 0 com o Ypiranga na noite desta quarta-feira, no Colosso da Lagoa, dois personagens grenás do duelo da primeira fase, quando o Caxias venceu o Juventude por 1 a 0 no Jaconi, se manifestaram. Desta vez, foram bem comedidos.

— Vamos lá no Alfredo Jaconi para fazer um bom jogo e depois decidir a classificação em casa, diante do nosso torcedor — disse o meia Wagner, aquele que cravou a bandeira no gramado do estádio do rival e que vai ser julgado pelo TJD-RS.

Em seguida, Marcelo Pitol, que deu declarações polêmicas depois do primeiro clássico, só comentou o óbvio sobre o duelo imprevisível das quartas de final:

— É um dos grandes clássicos do Estado.

Para o técnico Luiz Carlos Winck, se o mata-mata tem um favorito, esse é o Juventude.

– É o time da Série B do Brasileirão. Então, o favoritismo é deles.

Sobre os problemas que podem se repetir no Ca-Ju, Winck fez um alerta:

– Os clubes têm que ter grandeza desta vez.

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros