Com gol de Gilmar, Caxias vence o clássico contra o Juventude por 1 a 0 no Estádio Alfredo Jaconi - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Gauchão18/03/2017 | 20h29Atualizada em 19/03/2017 | 17h52

Com gol de Gilmar, Caxias vence o clássico contra o Juventude por 1 a 0 no Estádio Alfredo Jaconi

Duelo teve boas oportunidades para os dois lados e expulsão do zagueiro alviverde Ruan Renato

Com gol de Gilmar, Caxias vence o clássico contra o Juventude por 1 a 0 no Estádio Alfredo Jaconi Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Gilmar marcou seu terceiro gol no Estadual Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

O clássico Ca-Ju 281 é do Caxias. Em um duelo equilibrado, com poucos espaços e muita entrega dos dois lados, a bola aérea definiu. Com gol de Gilmar, na segunda etapa, o time grená fez 1 a 0 no Juventude e garantiu classificação ao mata-mata, além de acabar com qualquer risco de rebaixamento.

A equipe grená chega aos 14 pontos e encara na próxima quinta-feira o Brasil-Pel, no Estádio Bento Freitas, em Pelotas. Um dia antes, o Juventude, que ficou com 11, enfrenta o Cruzeiro, também fora de casa. 

Com os esquemas táticos espelhados e muita entrega na marcação dos dois lados, o primeiro tempo de Caxias e Juventude foi marcado pelo equilíbrio. Mas as melhores chances foram grenás. 

Taiberson (E) perdeu grande chance na segunda etapa, enquanto Goiano teve atuação segura Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

A primeira finalização com algum perigo demorou para sair. Foi uma tentativa do lateral Gian em cobrança de falta da intermediária. Longe do gol. Na resposta alviverde, também na bola parada, o canhoto Pará mandou o chute que desviou na barreira e também saiu sem perigo para Pitol. 

Caion (E) pouco produziu Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A partir dos 25 minutos, o Juventude tentou mostrar maior iniciativa. Em contra-ataque rápido, Bruno Ribeiro arrancou pelo meio e serviu Caprini, que finalizou firme, mas na rede pelo lado de fora. Com Wagner pouco efetivo, restava ao Caxias tentar encontrar Gilmar na referência. E o centroavante travou uma verdadeira batalha com Wanderson por espaço. 

Aos 35, Pará tocou para Bruno Ribeiro tirar de Marabá e finalizar rasteiro, ao lado do gol de Pitol. O Caxias jogava no erro do Ju. E eles vieram em sequência. Aos 39, Marcio Goiano cobrou falta da meia esquerda na segunda trave, Jean ganhou no alto e acertou a cabeçada na trave. No rebote, Wagner não conseguiu finalizar e, após uma série de tentativas, a zaga alviverde afastou o perigo.

Na reta final da primeira etapa, após uma cobrança de escanteio do time de Gilmar Dal Pozzo, o rebote ficou para Elyeser, que arrancou em velocidade e serviu Reis. O meia-atacante driblou o goleiro Douglas e mandou para o gol. Sananduva, de carrinho, salvou quase em cima da linha e tirou de Wagner a chance de empurrar para a rede. 

A última oportunidade da primeira etapa foi do Juventude. Bruno Ribeiro cobrou falta frontal rente ao travessão de Pitol.

Na volta do intervalo, com Lucas na vaga do lesionado Fahel, do lado alviverde, o cenário não se alterou. Jogo brigado e muitas disputas na intermediária. Aos seis, Caion tirou de dois zagueiros e deixou Taiberson cara a cara com Pitol. Na entrada da área, o camisa 11 bateu de pé esquerdo para fora. 

O Juventude desperdiçou, o Caxias não. Aos 10, o lateral-direito Gian cobrou falta da meia direita e Gilmar ganhou da zaga para mandar de cabeça; para a rede: 1 a 0. 

O time grená não diminuiu o ritmo e, aos 13, Marcio Goiano cruzou da esquerda e Nicolas apareceu nas de Pará. O atacante cabeceou e Douglas fez grande defesa. 

O Juventude tentava responder com Caprini e Taiberson, mas faltava uma referência no ataque. Aos 17, Pará cobrou escanteio e tentou o gol olímpico, quase surpreendendo Pitol. No lance seguinte, outro cruzamento para a área, a bola ficou para o rebote e Caprini finalizou em cima do goleiro grená, que deu rebote. A zaga mandou para escanteio.

Quando era melhor e tentava pressionar, o Juventude ficou com um jogador a menos em lance infantil. Wagner pedalou na intermediária e o zagueiro, que já tinha amarelo, cometeu falta forte. Resultado: segundo amarelo e expulsão.

Aos 23, no último lance dele no jogo, Taiberson recebeu de Bruno Ribeiro e tentou o chute colocado no ângulo. A bola passou muito perto.

Com Marlon e Júlio César, Winck tentou dar um novo gás para o time grená. O Ju, mesmo em inferioridade numérica, tinha maior posse de bola e tentava pressionar. Aos 40, Sananduva recebeu na meia direita e cruzou para a área. A zaga do Caxias ficou indecisa e Wanderson finalizou de carrinho, ao lado do gol.

Nos minutos finais, a equipe grená soube controlar a posse de bola no campo de ataque, impediu qualquer susto e comemorou a vitória no clássico e a classificação antecipada para as quartas de final. 

Após o apito final, muita festa dos grenás no gramado e o goleador Gilmar sentenciou na comemoração:

- Tem que respeitar o Caxias!



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros