Pedro Ernesto: "Nariz quebrado" - Esportes - Pioneiro

Coluna do Pedro04/10/2016 | 08h06Atualizada em 04/10/2016 | 08h06

Pedro Ernesto: "Nariz quebrado"

Pedro Ernesto: "Nariz quebrado" Lauro Alves/Agencia RBS
Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
Pedro Ernesto Denardin
Pedro Ernesto Denardin

pedro.ernesto@diariogaucho.com.br

E a luta continua, companheiro colorado. Ganhar do Figueirense foi muito importante, mas ainda não foi o suficiente.

Restam dez jogos no Brasileirão, e serão necessárias cinco vitórias para escapar do rebaixamento. Não é fácil se considerarmos o retrospecto recente da equipe na competição.

Ora, se o time é frágil, que a torcida seja o fator de mudança. Que os jogadores encarem essas partidas como as últimas de suas vidas.

Danilo Fernandes vai a campo com o nariz faturado. Essa é a mais radical certeza de que existe mobilização.

É o que precisa.

Na bola, com a normalidade e rotina do futebol, não vai dar.

É preciso mais: dos torcedores na arquibancada ao nariz fraturado do goleiro colorado.  

Leia outras colunas do Pedro Ernesto Denardin

Ausências
Não que Fernando Bob seja uma maravilha, mas ele foi bem contra o Figueirense até sofrer uma lesão muscular que o afastara da bola até o mês que vem. Paulão também não está entre os zagueiros do sonhos de ninguém. Seus substitutos terão de jogar como eles. O Coritiba é adversário direto. Entre as cinco vitórias necessárias, essa não pode faltar.

Libertadores
A virada de mesa que coloca mais brasileiros na Libertadores via Brasileirão devolveu o Grêmio para a competição. Claro que precisa ganhar fora sob pena de não alcançar esta graça. Até agora só ganhou do Atlético-MG fora do Estado. Jogando só na Arena, acabará fora de tudo. 

*Diário Gaúcho

 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros