Pradense abandona jogo em Nova Pádua no intervalo alegando que sofreu racismo - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Até no amador04/05/2014 | 18h56

Pradense abandona jogo em Nova Pádua no intervalo alegando que sofreu racismo

Equipe Ipê/Pradense afirma que deixou o campo do Ferroviário após ofensas

Os condenáveis atos de racismo não se limitam ao futebol profissional. Neste domingo, no intervalo do jogo com o Ferroviário, em Nova Pádua, pela Copa Libertadores do Nordeste, a equipe Ipê/Pradense informou que abandonou o gramado e se dirigiu a duas delegacias de polícia, em Nova Pádua e Flores da Cunha, que estavam fechadas. A queixa por racismo será feita nesta segunda-feira em Antônio Prado.

Segundo o dirigente e técnico Samuel Rodrigues, alguns jogadores negros da equipe, como Fábio dos Reis, foram alvo de ofensas racistas por parte de uma pessoa ligada ao Ferroviário. Ela estava utilizando um abrigo igual ao dos dirigentes do clube.

No momento em que decidiu deixar o gramado, o Ipê/Pradense perdia por 1 a 0. Mas Samuel Rodrigues afirma que, acima do resultado, está a questão do respeito entre as pessoas. Por isso ele quer levar o caso adiante.

O Ferroviário de Nova Pádua contesta a versão do Pradense.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros