Em jogo de altos e baixos, Caxias do Sul Basquete perde para o Mogi por 89 a 81 - Basquete Caxias do Sul - Esportes: notícias sobre o Caxias e Juventude e mais - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

NBB 827/01/2016 | 22h00

Em jogo de altos e baixos, Caxias do Sul Basquete perde para o Mogi por 89 a 81

Time caxiense volta a atuar no Vascão na sexta-feira, contra o São José

Em jogo de altos e baixos, Caxias do Sul Basquete perde para o Mogi por 89 a 81 Felipe Nyland/Agencia RBS
Armador Gustavinho acabou a partida como cestinha, com 21 pontos Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
O Caxias do Sul Basquete/Banrisul teve ótima atuação em duas parciais, mas não conseguiu superar o experiente time do Mogi na noite desta quarta-feira, no Ginásio Vascão. Em um confronto com arbitragem confusa e com altos e baixos das equipes, o time paulista venceu por 89 a 81.

FOTOS: confira alguns lances da partida

O armador Gustavinho, com 21 pontos, e o ala Guto, com 20, foram os cestinhas do Caxias. O Mogi se destacou pelo aspecto coletivo e Lucas Mariano, com 19, foi o destaque do time.

A equipe caxiense volta a jogar em casa na sexta-feira, às 20h05min, contra o São José. O time do técnico Rodrigo Barbosa agora tem quatro vitórias e 13 derrotas no NBB 8.

O primeiro quarto iniciou com muito equilíbrio, marcação forte dos dois times e pontuações baixas. As duas equipes desperdiçaram ataques em sequência e demoraram a engrenar. Nos quatro minutos finais, o Caxias cresceu ofensivamente, contou com sete pontos seguidos de Alex, que começou no banco, e abriu vantagem. A marcação implacável sobre os principais jogadores do Mogi surtiu efeito e a parcial fechou com o time da casa na frente por 20 a 9.

No início da segunda parcial, o cenário se inverteu. O Mogi conseguiu encontrar mais espaços na defesa da equipe caxiense, que não repet iu o desempenho no ataque e voltou a cometer muitos erros. Por conta disso, o placar ficou igual: 25 a 25, quando restavam três minutos e meio.

Utilizando a experiência e a envergadura do pivô Paulão, que anotou 14 pontos nos primeiros 20 minutos, os visitantes continuaram envolvendo o Caxias, que mostrava ansiedade ao atacar. O técnico Rodrigo Barbosa pediu tempo duas vezes, mas o time não reagiu. O Mogi venceu o quarto por 28 a 11, virou o duelo e foi para o intervalo com seis de vantagem: 37 a 31.

A volta do intervalo levantou o torcedor no Vascão. Em três minutos e meio, com cinco cestas seguidas de três pontos e sabendo parar o ataque paulista, o Caxias virou a partida mais uma vez. Os chutes de longa distância continuaram caindo e o ala Guto se transformou no grande nome do time da casa.

Com o passar do tempo e as mudanças do treinador paulista, o Mogi voltou a ter bom rendimento ofensivo no terceiro quarto, especialmente com o norte-americano Shamell. O equilíbrio no placar voltou e após trocarem cestas, no finalzinho, com dois lances livres, o time paulista foi para os 10 minutos derradeiros na frente: 58 a 57.

Com dois erros logo no início da última parcial, o Caxias cedeu duas cestas fáceis ao adversário, que abriu seis pontos. Enquanto o time caxiense errava no ataque, Lucas Mariano acertou outros dois chutes de longa distância para abrir 12 pontos. Gustavinho respondeu na mesma moeda e manteve o time caxiense na briga.

Quando restavam cinco minutos, uma sequência de faltas marcadas pela arbitragem contra o Caxias irritou a comissão técnica caxiense e os torcedores. Com falta técnica e uma antidesportiva, o Mogi aproveitou os lances livres e ampliou outra vez o placar.

Com uma defesa forte, os paulistas não ofereceram oportunidades de reação aos donos da casa. No final, o torcedor valorizou o bom desempenho do time e aplaudiu os jogadores

Pioneiro

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros