"O governador viu o problema das empresas e liberou suas atividades", recorda Petry - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Mercopar17/11/2020 | 19h21Atualizada em 17/11/2020 | 19h21

"O governador viu o problema das empresas e liberou suas atividades", recorda Petry

Presidente da Fiergs agradeceu a governador pela liberação das atividades da indústria

"O governador viu o problema das empresas e liberou suas atividades", recorda Petry Antonio Valiente/Agencia RBS
Gilberto Porcello Petry, presidente da Fiergs, também discursou na abertura da Mercopar Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Antes de o governador Eduardo Leite ocupar a tribuna, na  29ª Mercopar - Feira de Inovação Industrial, quem discursou foi o presidente do Sistema Fiergs e do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae RS, Gilberto Porcello Petry. Vestindo um terno xadrez, Petry, fez questão de agradecer ao governador pela forma como ele repensou a condução das atividades produtivas em meio à pandemia.

Leia mais:
Mercopar abre nesta terça com expectativa de reunir até 10 mil pessoas em três dias de feira
Confira a programação da Mercopar, que abre terça-feira, em Caxias do Sul  

Petry disse que estava nos Estados Unidos, com o presidente Jair Bolsonaro, em março, quando a pandemia começava a espalhar-se pelas Américas. No dia 12, desceu no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre e, à noite, foi assistir ao Gre-Nal, o último a ser realizado com torcida neste ano. Quatro dias depois, foi fazer seu exame para saber se havia contraído a covid e, felizmente, o exame deu negativo. Dias depois, conta Petry, o governador Eduardo Leite teve de tomar uma decisão e acabou emitindo um decreto, que chamou de "longo e forte", e então as empresas paralisaram.

— Eu liguei pra ele, temendo a situação, e expliquei que a indústria não gera aglomerações. A única que teria problema seria o setor de calçados, pois os trabalhadores ficam muito próximos. Mas nesse caso, era definir por um protocolo específico. Depois de quatro dias, o governador emitiu um novo decreto em que liberava as atividades das empresas, dentro dos protocolos de distanciamento. Felizmente, o governador viu o problema das empresas e liberou suas atividades.

Leia também:
Homem é encontrado morto em açude no interior de Bento Gonçalves
Capitão do Caxias projeta confronto com o Tubarão: "Temos que ter total atenção agora" 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros