Economia caxiense apresenta terceiro saldo positivo consecutivo em julho - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Desempenho17/09/2020 | 16h03Atualizada em 17/09/2020 | 16h03

Economia caxiense apresenta terceiro saldo positivo consecutivo em julho

Três principais setores apresentam evolução nos índices, mas saldo do acumulado do ano ainda é negativo

Economia caxiense apresenta terceiro saldo positivo consecutivo em julho Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Caxias do Sul registrou incremento de 18% no desempenho econômico de julho em comparação a junho deste ano. O índice foi divulgado pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) na tarde desta quinta-feira (17). 

Serviços tiveram crescimento de 31,9% no comparativo entre os meses, enquanto indústria e comércio apresentaram saldos de +14,2% e +6,6%, respectivamente. O levantamento referente ao setor de serviços, no entanto, pode ter uma distorção: os números de serviços são baseados na arrecadação do ISSQN (o Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza) e, durante alguns meses, houve adiamento do pagamento do imposto, o que pode ter acumulado de forma significativa em julho — entre 10% a 15% do imposto recolhido refere-se ao mês de abril. Ainda assim, na avaliação dos economistas, a recuperação é nítida.

— Tivemos novamente um mês bom, mais um indicativo de que estamos realmente nos recuperando e que abril foi o mês que tivemos as maiores perdas. Porém, ainda em relação ao ano passado não foi possível se obter um crescimento positivo, mas saliento que a diferença foi bem pequena, quase conseguimos empatar — apontou a economista Maria Carolina Gullo.

Como mencionado por Gullo, em comparação ao mesmo período do ano passado, o desempenho ficou apenas 0,1% abaixo, com comércio apresentando baixa significativa de -14% em relação a julho de 2019. Cenário bem diferente da indústria, que conseguiu desempenho superior em 5,1% ao do mesmo mês em 2019.

— A economia está se recuperando de maneira surpreendente. Essa recuperação começa pela indústria, que já está superior ou igual ao mesmo mês do ano passado. O momento é virtuoso. Apesar disso, numa visão de longo prazo precisamos recuperar as 35 mil vagas de trabalho que perdemos desde 2013, é mais do que a população de muitos municípios. Precisamos coletivamente nos preocupar em criar mecanismos para recuperar empregos e também a retomada de competitividade — avaliou o diretor de Economia, Finanças e Estatísticas da CIC, Astor Schmitt.

Outro índice de destaque foi nas exportações, que apresentaram incremento de 26% em relação ao mês de junho, o que representou US$ 10 milhões a mais faturados em julho (US$ 49 milhões) em relação a junho e maio (ambos US$ 39 milhões).

Recuperação mais lenta no comércio

O comércio também teve o registro do terceiro índice positivo consecutivo no mês de julho. Entretanto, o setor ainda busca recuperar as perdas acumuladas.

— Após forte queda de abril, o comércio vem se recuperando paulatinamente, o que caminha com a liberação das atividades e circulação das pessoas. No acumulado de 12 meses e do ano, ainda amargamos números negativos, mas esperamos no próximo mês começar a virar a chave, mesmo com números negativos, mas numa escala menor — avaliou Mosár Leandro Ness, assessor de Economia e Estatística da CDL Caxias.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o comércio teve redução de 14% nas vendas. No acumulado do ano, o setor acumula -16,1% e em 12 meses -7%.

Leia também
"Esse ano, a gente não vai conseguir recuperar tudo o que perdeu", diz economista
Marcopolo terá Plano de Desvinculação Voluntária para os seus funcionários

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros