Vendas para o Dia dos Pais em Caxias devem registrar queda de até 50% - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Em comparação a 201903/08/2020 | 11h40Atualizada em 03/08/2020 | 11h40

Vendas para o Dia dos Pais em Caxias devem registrar queda de até 50%

Estimativa é da CDL. Percentual pode cair para 30%, segundo entidade, se a cidade voltar para bandeira laranja

Vendas para o Dia dos Pais em Caxias devem registrar queda de até 50% Porthus Junior/Agencia RBS
Restrições do coronavírus serão principais causadores do prejuízo projetado Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O Dia dos Pais no comércio caxiense pode sofrer recuo de até 50% nas vendas deste ano em comparação ao mesmo período de 2019, segundo pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Caxias  (CDL). A pandemia e a instabilidade pelas restrições de funcionamento são elencados como principais motivos da queda. O estudo, entretanto, faz a ressalva de que caso haja redução de bandeira no programa de distanciamento controlado, o desempenho das vendas pode melhorar, embora ainda nesse caso seja estimada queda de até 30% em relação ao ano passado. 

Entre os entrevistados, 39% afirmaram que pretendem presentear os pais. Em 2019, o índice era de 63%.

O levantamento ainda revela que 64% dos caxienses tiveram redução significativa na renda por conta do coronavírus, o que, portanto, deve influenciar na redução de consumo.

O tíquete médio será de R$ 188 por presente, 8% a mais do que a média do ano passado. Vestuário e moda (54%, calçados (16%) e perfumes e cosméticos (15%) foram os itens mais citados de intenção de presente.

Apesar das recomendações de distanciamento social, 86% disseram que têm preferência em fazer a compra por atendimento pessoal, caso autorizado pelo governo do Estado. 

Destaques da pesquisa

:: 39,32% devem presentear neste Dia dos Pais (em 2019 eram 63,68%);

:: 66% dos presentes serão destinados aos próprios pais, seguido de marido/namorado (23%) e de sogro (7%);

:: 86% dos consumidores vão adquirir produtos/serviços no comércio local;

:: 90% dos entrevistados disseram que suas compras para a data serão afetadas pelo coronavírus, sendo que 50% alegaram que prejudica muito;

:: O ticket médio deve ser de R$ 188 por pessoa;

:: Vestuário e moda (53,79%), calçados (15,91%) e perfumes e cosméticos (15,15%) serão os itens mais procurados;

:: 47% devem comprar na semana do Dia dos Pais (3 a 9 de agosto) e 13,4% na véspera ou no dia;

:: 89,40% pesquisam produtos e preços antes de adquirir, sendo os principais canais os sites das lojas (36,25%), sites de buscas (26,25%) e mídias digitais, como Facebook, Instagram e WhatsApp (21,25%)

:: Entre os fatores que ajudam na decisão de compra estão  a opção de atendimento digital ou por telefone (15,77%), entrega a domicilio (15,21%) e identificação clara dos preços (13,80%);

:: Além do presente, 86,21% pretendem fazer um almoço especial em casa e 10,34% devem ir fazer a refeição em restaurante;

:: 64,38% dos entrevistados disseram que a covid-19 afetou a renda da família, 20,84% afirmaram que prejudicou um pouco e 14,78% disseram que não foi impactada.

Fonte: CDL Caxias

Leia também
As crises que venci: "Todo o trabalho não está perdido"
Segmentos tradicionais do inverno precisam se adaptar ao novo cenário, mas vinhos e lareiras aumentam vendas

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros