Nova gasolina ainda não impacta o preço praticado nas bombas de Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Mais cara e com melhor rendimento06/08/2020 | 14h34Atualizada em 06/08/2020 | 14h34

Nova gasolina ainda não impacta o preço praticado nas bombas de Caxias do Sul

Empresários do setor dizem não ter como prever se haverá aumento, mas apostam que, se houver, será pequeno

Nova gasolina ainda não impacta o preço praticado nas bombas de Caxias do Sul André Fiedler/Agência RBS
R$ 4,09 foi o menor valor encontrado entre os postos pesquisados Foto: André Fiedler / Agência RBS

Obrigatória desde segunda-feira (3), quando entrou em vigor a normativa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a nova gasolina ainda não impacta no preço praticado pelos postos em Caxias do Sul. As novas regras determinam padrões mínimos de desempenho, o que pode encarecer o processo de produção (e consequentemente o preço final), mas também melhorar o rendimento.

Leia mais
Gasolina volta a passar dos R$ 4 em parte dos postos de Caxias

A Petrobras admite que pode ocorrer uma alta ao consumidor, compensada pela melhor resposta do motor, que terá menos gasto de combustível, e empresários do setor não descartam que possa ocorrer algum impacto na próxima semana. Se ocorrer, contudo, deve ser pequeno, apesar das variações de preço serem difíceis de prever.

Entre os motivos, segundo Eduardo Martins, presidente o Sindipetro Serra, o sindicato que representa os postos, está o fato de a gasolina já sair das refinarias brasileiras com as novas especificações ainda antes da ANP anunciar a normativa. O que muda agora é a exigência da agência reguladora, que deu prazo de 60 dias para eventuais refinarias e distribuidoras que ainda não estavam adaptadas. Atualmente, de 10% a 15% da gasolina vendida no Brasil é importada e, essas sim, talvez precisem se adaptar.

— Não é um produto novo no mercado. O que houve agora é uma especificação. A Petrobras já vinha adotando isso. Claro que agora organizou o mercado — explica Martins.

Outro fator que deve contribuir para o baixo impacto nas revendas é a baixa participação do produto em si no preço final, que fica entre 26% e 28%.

— A mudança no preço de pauta (valor base para a cobrança de ICMS), por exemplo, pesa muito mais, já que o produto corresponde a menos de um terço do preço final — observa.

O sócio-proprietário da Rede de Postos Onzi, Rodrigo Onzi, afirma que nas compras realizadas nesta semana não houve mudança significativa de preço. E, mesmo que a nova gasolina cause algum impacto, pode não ser facilmente percebido, já que a própria variação do dólar e do barril do petróleo no mercado internacional também influenciam no valor praticado nas bombas.

— Em função especificamente da nova gasolina, ainda não observamos nada.

Com relação à qualidade do combustível, Onzi afirma também que pouco deve mudar em relação ao que a rede já recebia. Um exemplo é a densidade do combustível, que agora não pode ser inferior a 715 quilos por metro cúbico.

— Desde que assumi a empresa em 2007, nunca recebi gasolina com densidade abaixo de 715. O que entendo que vai mudar é a octanagem, isso sim deve trazer uma performance melhor — avalia.

Variação de preços

Independentemente da nova gasolina, o valor nas bombas tem variado de forma mais frequente nas últimas semanas. No fim de junho, o preço mais baixo identificado pela reportagem em 10 postos consultados era de R$ 3,93. Nesta quinta, o valor mínimo nos mesmos postos era de R$ 4,09 (confira abaixo).

A explicação, segundo os empresários consultados, é idêntica a de outros momentos de variação: o dólar e o barril do petróleo. A diferença agora é que o intervalo entre as mudanças é menor.

— Durante a pandemia variou praticamente toda a semana. Tem até duas vezes por semana — afirma Rodrigo Onzi.

Conforme Eduardo Martins, na última sexta-feira (31), a Petrobras baixou em R$ 0,06 centavos o preço da gasolina nas refinarias. A queda chegou aos postos em R$ 0,02. No dia seguinte, o governo do Estado revisou o preço de pauta para R$ 4,25, aumentando R$ 0,03.

— Durou apenas um dia — lamenta Martins.

Em abril, com a queda expressiva no barril do Petróleo no mundo, a gasolina em Caxias chegou a ser vendida na casa dos R$ 3,50. Agora, o valor se aproxima dos patamares pré-pandemia e isso é sentido pelo entregador Elton Souza, 35 anos. Ele gasta em torno de R$ 700 ao mês em combustível e acredita que vai ter o custo elevado entre R$ 60 e R$ 70.

— De 15 dias para cá, aumentou bastante. Tinha lugares que estava R$ 3,99 e agora está R$ 4,29 — observa.

Postos pesquisados (gasolina)

Posto SIM (Avenida São Leopoldo com Rua Sarmento Leite)
:: 24/06: R$ 3,94
:: 06/08: R$ 4,13

Posto Ramar (Avenida São Leopoldo com Perimetral Sul)
:: 24/06: R$ 4,08
:: 06/08: R$ 4,14

Posto 11 Perimetral Sul
:: 24/06: R$ 4,09
:: 06/08: R$ 4,19

Posto SIM (Avenida São Leopoldo com BR-116)
:: 24/06: R$ 3,99
:: 06/08: R$ 4,19

Posto Rodoil BR-116 (Bairro Planalto)
:: 24/06: R$ 3,94 (em dinheiro ou débito) - R$ 4,09 à prazo
:: 06/08: R$ 4,19 (em dinheiro ou débito) - R$ 4,29 à prazo

Posto Ipiranga (BR-116 com Rodrigues Alves)
:: 24/06: R$ 3,94
:: 06/08: R$ 4,19

Postos Tirol/Imigrante
:: 24/06: R$ 3,94 (à vista) - R$ 4,29 (à prazo)
:: 06/08: R$ 4,19 (à vista) - R$ 4,44 (à prazo)

Posto Capoani BR-116, bairro Presidente Vargas
:: 24/06: R$ 3,93
:: 06/08: R$ 4,09

Posto Pinheiro, BR-116, bairro São Ciro
:: 24/06: R$ 3,93
:: 06/08: R$ 4,09

Posto 11 bairro Interlagos
:: 24/06: R$ 4,09
:: 06/08: R$ 4,19

NOVA GASOLINA

DENSIDADE - A gasolina passa a ter valor mínimo de massa específica, de 715 quilos por metro cúbico, o que não existia antes. Esse indicador também é conhecido como a densidade do combustível. Quanto maior a massa específica, maior a capacidade de gerar energia e, consequentemente, de elevar o rendimento da gasolina (trafegar mais com menos). Com a mudança, espera-se redução no consumo do combustível pelos automóveis

OCTANAGEM - Há, agora, uma definição de valor mínimo de octanagem pela metodologia RON. Na prática, a medida avalia a capacidade da gasolina de resistir à combustão. Ou seja, quanto mais alta for a octanagem, maior a resistência, melhorando o desempenho do carro. O valor mínimo, para a gasolina comum, passa a ser de 92. Para a premium, é de 97

DESTILAÇÃO - Outra alteração é o ajuste na curva de destilação. O indicador serve para analisar a temperatura em que frações mais leves da gasolina evaporam. Antes, havia definição apenas de limite máximo de temperatura para destilação. Agora, também há padrão mínimo. A medida busca uniformizar as características do combustível no país. A intenção é garantir o funcionamento adequado dos motores em quesitos como partida a frio e aquecimento

Leia também
O futuro da economia: o que esperar da indústria após a pandemia
Comissão que trata da ocupação da Maesa empossa integrantes e faz visita guiada ao complexo 
Com 34% dos casos fatais na Serra, Bento Gonçalves é a quinta cidade do Estado com mais mortes por covid-19 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros