Empresa de Caxias do Sul investe em pinças eucarísticas - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Feito aqui29/06/2020 | 06h20Atualizada em 29/06/2020 | 08h46

Empresa de Caxias do Sul investe em pinças eucarísticas

Em momento de incerteza, Lien Artigos Religiosos aceitou pedido de cliente do Rio de Janeiro e acrescentou artigo à lista de produtos

Empresa de Caxias do Sul investe em pinças eucarísticas Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Eduardo Pichetti, um dos sócios da empresa, com pinça que permite entrega da hóstia sem toque do sacerdote Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Quando a pandemia avançou com força na Serra Gaúcha, em março, forçando a paralisação de atividades para garantir o distanciamento social e evitar o contágio do coronavírus, Evaristo Cagol e Eduardo Pichetti temeram pelo futuro da Lien Artigos Religiosos. Mesmo após o retorno parcial, cerca de duas semanas depois, as incertezas persistiam, pois não havia demanda para a empresa caxiense

Mas uma luz surgiu quando o telefone tocou em uma manhã no início de junho. Francine Pedron, coordenadora financeira e comercial da Lien, era uma das poucas funcionárias trabalhando naquele dia – muitos ganharam férias neste período já que a fábrica estava praticamente parada. Era um cliente do Rio de Janeiro perguntando se a empresa tinha pinças eucarísticas para vender. 

— Enquanto ele (cliente) falava, eu procurava na internet o que era, porque não sabia do que se tratava. Respondi que sim, que fazíamos — conta Francine, atenta à oportunidade que surgia com aquela ligação. 

Em 40 anos, a Lien produziu milhares de objetos utilizados em celebrações religiosas, como crucifixos, cálices e castiçais, mas nunca uma pinça eucarística. Foi preciso começar do zero. Um funcionário fez um protótipo em 8 de junho e, dois dias depois, o item entrava na linha de produção da fábrica localizada no Santa Lúcia. Em pouco mais de duas semanas, mais de 1 mil unidades foram vendidas. 

— Foi ótimo porque estávamos parados. A gente tinha uma reserva que possibilitou que continuássemos funcionando, mas não sei até quando seria possível — comemora Pichetti, um dos sócios da empresa. 

Utilizada pela Igreja Católica em períodos de crise sanitária como a vivida atualmente, a pinça permite que o sacerdote entregue a Santa Comunhão aos fiéis sem tocar na hóstia com a mão, como é feito até então. Na Europa, ela já foi adotada e, com tantos pedidos recebidos pela Lien, logo deve estar presente nas celebrações nos templos brasileiros. 

Embora a pinça eucarística não seja utilizada há muito tempo – há registro do uso, por exemplo, durante a peste negra, no Século 14 —, Pichetti espera que as igrejas incorporem definitivamente o hábito. 

— Eu acredito que vão manter o uso da pinça depois, porque é bem mais higiênico — diz. 

"Foi às cegas, usei a imaginação"

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 22/06/2020 - Empresa Lien, fabricante de artigos religiosos, localizada no Santa Lúcia, em Caxias do Sul, criou a pinça para hóstias.NA FOTO:Ederson Pereira, o funcionário que criou a pinça eucarística da Lien.  (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14528425) -->
Ederson mostra o protótipo que fez sem nunca ter visto uma pinçaFoto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Há 10 anos na Lien Artigos Religiosos, Ederson Pereira, 28, foi o responsável por dar forma à primeira pinça eucarística da empresa. Recebeu as orientações e, mesmo sem nunca ter visto uma na vida, completou o desafio. Depois de um dia de trabalho, entregou o protótipo que serviria de modelo para o novo artigo da fábrica. 

— Foi meio às cegas, usei a imaginação — conta. 

O projeto foi finalizado pelo designer Maicon Maccagnan e entrou na linha de produção em 10 de junho. O processo envolve várias etapas, desde o corte da chapa, passando pelo banho de ouro até a embalagem. Esse caminho leva pouco mais de uma hora para ser concluído. 

— Foi uma coisa nova. Estou me sentindo bem, está vendendo superbem — alegra-se Eder, como é chamado pelos colegas. 

Cada pinça custa R$ 140. O maior número de pedidos, conforme Eduardo Pichetti, vem dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, onde a empresa tem diversos clientes. Até semana passada, a Lien ainda não havia vendido nenhuma unidade em Caxias do Sul. 

— O bom é que a maioria dos clientes compra a pinça e aproveita para pegar algum outro produto — acrescenta Pichetti. 

ETAPAS DA FABRICAÇÃO

Corte da chapa de latão a laser.
Polimento.
Banho de lavagem.
Banho de níquel.
Banho de ouro.
Limpeza.
Colocação da cruz para decoração da peça.
Nova limpeza.
Embalagem.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 22/06/2020 - Empresa Lien, fabricante de artigos religiosos, localizada no Santa Lúcia, em Caxias do Sul, criou a pinça para hóstias. (Marcelo Casagrande/Agência RBS)<!-- NICAID(14528466) -->
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

A EMPRESA

> A Lien foi fundada em fevereiro de 1980 por Evaristo Cagol.
> Em 1982, Eduardo Pichetti, então funcionário da Lien, tornou-se sócio da empresa.
> Quando abriu as portas, ficava no bairro Pio X. Hoje está localizada no Santa Lúcia.
> A empresa produz cerca de 300 diferentes artigos religiosos.
> A fábrica emprega 13 funcionários.

Leia também
Colina Grill encerra as atividades após 24 anos de atuação em Caxias do Sul
Prédio histórico que abrigou cantina em Caxias do Sul ganhará wine bar e cafeteria
O futuro da economia: como será o turismo após a pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros