Após reclamações de cobrança excessiva, Procon de Caxias notifica RGE - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Valor dobrado01/06/2020 | 13h29Atualizada em 01/06/2020 | 13h29

Após reclamações de cobrança excessiva, Procon de Caxias notifica RGE

Concessionária tem até o fim da semana para se manifestar

Após reclamações de cobrança excessiva, Procon de Caxias notifica RGE Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

O Procon de Caxias do Sul aguarda até o fim da semana uma manifestação da Rio Grande Energia (RGE) a respeito dos valores cobrados nas faturas emitidas em maio. O órgão de defesa do consumidor notificou a concessionária na última sexta-feira (29) após o recebimento de centenas de reclamações de cobranças excessivas, justamente em um momento em que diversas pessoas sofrem com a redução da renda.

Leia mais
Durante quarentena, RGE suspende temporariamente o corte de energia para clientes

De acordo com o coordenador do Procon, Dagoberto Machado dos Santos, as reclamações começaram na metade da semana passada e se intensificaram nos dias seguintes. O órgão quer saber qual foi o método de cálculo e de leitura no consumo.

— Somente entre quinta-feira (28) e sexta-feira (29) foram 100 reclamações. Teve casos em que o valor dobrou e outros que triplicou, mas em nenhum foi menos que o dobro — afirma.

O coordenador diz que pretende ouvir a empresa antes de levantar qualquer possibilidade de punição. Além disso, ele afirma que é possível resolver o problema de outras, como o desconto de multas por eventuais atrasos ou o parcelamento dos valores.

Procurada pela reportagem, a RGE disse que uma resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de 24 de março autorizou as distribuidoras a realizar a cobrança por uma media dos últimos 12 meses pelo período de 90 dias, devido à pandemia. Outra possibilidade era a autoleitura, em que o próprio consumidor informa os dados do medidor pelos canais de atendimento da empresa. Segundo a concessionária, no entanto, os métodos foram aplicados somente entre os dias 6 e 15 de abril, quando uma liminar da Justiça do Trabalho impediu os funcionários de realizar a leitura em campo. Ainda segundo a RGE, as medições já foram normalizadas e as faturas emitidas em maio já contam com compensações por eventuais discrepâncias no valores.

A empresa justifica ainda que o período de quarentena fez com que as pessoas passassem mais tempo em casa, inclusive trabalhando. Essa mudança de hábito pode acarretar em maior consumo e aumento do valor das contas. Em função disso, a recomendação é adotar procedimentos que ajudam a economizar, como desligar luzes ao sair dos cômodos, desligar aparelhos que não estejam em uso e reduzir o tempo de utilização de ar condicionado.

Leia também
Órbita Literária desta segunda aborda 50 anos do fim dos Beatles
Intervalo: por que não liberar os treinos no futebol profissional? 
Saiba quais são os desdobramento do surto de covid-19 em frigorífico de Caxias do Sul 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros