Lojistas caxienses se articulam para alavancar vendas em Dia das Mães comprometido pela crise - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Estratégia06/05/2020 | 11h13Atualizada em 06/05/2020 | 11h21

Lojistas caxienses se articulam para alavancar vendas em Dia das Mães comprometido pela crise

Segunda principal data para o comércio deve ter queda de até 40% nas vendas neste ano em Caxias

Lojistas caxienses se articulam para alavancar vendas em Dia das Mães comprometido pela crise Porthus Junior/Agencia RBS
Decoração de vitrines deixa de ser fator primordial para estimular consumo Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Lidar com as perdas de quase um mês de lojas fechadas já seria duro o suficiente para o comércio. E com a ressaca do prejuízo sem perspectiva de ser superada, uma vez que ainda não houve o retorno de grande número de clientes, o setor ainda verifica importantes datas do calendário comprometidas pela crise do coronavírus. Celebrado no próximo domingo (10), o Dia das Mães é considerado, historicamente, a segunda principal data do comércio no ano, atrás apenas do Natal. Em 2020, no entanto, a retração deve ser significativa. Estudo da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul estima queda nas vendas do setor de 18,8% na cidade. Índice, entretanto, considerado "menos negativo" do que o cenário indicava.

— A gente até ficou feliz, de certa forma, não é muito comum ficar feliz com retração, mas achamos 18,8% um resultado relativamente bom frente a tudo que estamos passando — avalia Cleber Figueredo, coordenador de Tecnologia, Informação e Inovação da CDL Caxias.

Parte dos motivos, acredita ele, está na própria confiança restabelecida dos comerciantes após a volta das atividades. 

— O cenário é de retração, não vai ser o desempenho de vendas do ano passado, mas vai se aproximar ao que foi na greve dos caminhoneiros, que casualmente foi no mesmo período, em 2018, quando atingiu em cheio o Dia das Mães. Portanto, os lojistas já vivenciaram uma crise recente neste período — complementa.

A queda nas vendas do comércio no Dia das Mães em 2018 também ficou em torno de 18% abaixo das de 2017.

Já para o Sindilojas Caxias, a previsão de redução do faturamento na data é mais pessimista.

— Nossa projeção é de queda de 40% em comparação a 2019, tanto em razão do fato de que muitos clientes vão preferir o isolamento, quanto na limitação de atendimento de público nas lojas — salienta a presidente da entidade, Idalice Manchini.

Ainda de acordo com a pesquisa da CDL, 45,8% dos consumidores entrevistados informaram que pretendem presentear no Dia das Mães. O tíquete médio apontado é de R$ 190 por pessoa. Caxias do Sul conta atualmente com cerca de 19 mil lojas registradas na cidade, sendo o comércio responsável pela geração de cerca de 28 mil empregos formais e 28% do PIB do município, com faturamento anual de R$ 2,1 bilhões.

PESQUISA

:: 45,8% devem presentear neste Dia das Mães;

:: 84,2% dos consumidores vão adquirir produtos/serviços no comércio local;

:: 94,5% dos entrevistados disseram que suas compras serão afetadas pelo coronavírus;

:: O ticket médio deve ser de R$ 190 por pessoa (1,5 presentes);

:: Vestuário e moda (47%), beleza e cuidado pessoal (20%), objetos para casa (9%) e flores (8%) serão os itens mais procurados;

:: 44,2% pretendem comprar na semana do Dia das Mães (4 a 10 de maio) e 18,8% na véspera ou no dia;

:: Dentre os 54,2% que não irão presentear neste ano, 26,9% alegaram estar sem dinheiro e 18,6% por conta do coronavírus.

Fonte: CDL Caxias

Ir aonde está o cliente

Em tempos de pandemia e restrições, as regras tradicionais, de atrair o cliente para a loja física e tentar fazer com que permaneça o máximo de tempo para consumir produtos adicionais, já não se aplicam.

— A estratégia principal neste momento é ir para onde o cliente está. O cliente está em casa. Por onde então se comunicar com ele? Uma possibilidade é na divulgação pela própria mídia, ou nas redes sociais. Quanto mais diversificada essa comunicação, melhor — recomenda Figueredo.

— O produto tem de chegar ao consumidor que não está saindo de casa. Não adianta tanto fazer a vitrine, embora seja importante para atrair o consumidor às lojas físicas — comenta Idalice, do Sindilojas.

Idalice, que é também proprietária da Pole Modas, informa que as vendas do e-commerce foram o único faturamento que não reduziu desde o início da crise, pelo contrário.

Contudo, o fato de a crise ter pego os setores econômicos desprevenidos impede que lojistas adotem sistemas bem estruturados de e-commerce em curto espaço de tempo. Isso, no entanto, não impede que as vendas sejam efetivadas por redes sociais.

— É possível fazer divulgação, contato com cliente e até encaminhar vendas via Instagram, Whatsapp e Facebook. Apesar de não terem funcionalidade do pagamento, ainda assim é possível realizar diversas etapas de atendimento e tornar mais prático e rápido o atendimento de busca ou até entrega do produto ao cliente — ressalta a presidente do Sindilojas.

Outras formas de contato

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 05/05/2020. Vendas para o Dia  das Mães -  Shopping Iguatemi implementa a venda com a retirada em sistema drive thru. Lojistas vendem on-line e o cliente retira a compra em um espaço específico organizado pelo shopping. Kauana Soares, gerente da loja de lingeries Hope, aderiu campanha de shopping para vendas ao estilo drive-thru. (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14492863) -->
Loja de lingeries utiliza redes sociais como principal canal de comunicação com clientesFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

Para a loja de lingeries, Hope, localizada no Shopping Iguatemi, as vendas concretizadas por meios digitais alcançam em torno de 80%.

— Whatsapp e Instagram são os melhores aliados. Já trabalhávamos há bastante tempo, mas agora percebemos o diferencial. O cliente busca mais segurança, mas não quer deixar de consumir as marcas que ele gosta. Muitas vezes trabalhamos através das redes sociais e ele vem diretamente só para efetuar a compra — afirma a gerente Kauana Soares.

Já para a loja de cristais, joias e acessórios Swarovsky, os meios digitais exercem importância tão relevante a ponto de não reduzir a expectativa de vendas para o Dia das Mães deste ano.

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 05/05/2020. Vendas para o Dia  das Mães -  Shopping Iguatemi implementa a venda com a retirada em sistema drive thru. Lojistas vendem on-line e o cliente retira a compra em um espaço específico organizado pelo shopping.  Analu Luppi, gerente da Swarowsky, aposta no meio digital e sistema de entregas para conseguir boas vendas no Dia das Mães.  (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14492867) -->
A projeção da gerente da Swarovsky, Analu Luppi, é de que o coronavírus não reduza as vendas de Dia das Mães deste anoFoto: Porthus Junior / Agencia RBS

— Sabemos que não dá para se basear em metas de anos passados, porque é um ano diferente. Mas a nossa perspectiva é muito boa, os nossos resultados já estão bem bons no início de maio. O pessoal não está deixando de comprar, só comprando de forma diferente. As vendas online e delivery colaboram — garante Analu Luppi, gerente da Swarovsky.

Fique atento

:: A maior movimentação prevista será entre quinta a sábado, especialmente no sábado. Portanto, busque antecipar as compras para evitar corre-corre e aglomerações.

:: A demora também prejudica os lojistas, que terão  de cuidar número de pessoas dentro da loja.

:: Saiba o que quer, para sair mais decidido de casa e efetuar uma compra mais rápida.

Como alcançar público para o Dia das Mães

:: Trabalhar comunicação multicanal: divulgar a empresa em meios de comunicação e, especialmente, redes sociais.

:: Disponibilizar combo de produtos e serviços para poder fazer entregas em domicílio: desde itens que facilitem a decisão de compra até serviços de entrega.

:: Qualificar equipe de vendas para ajudar a divulgar quem não está conseguindo chegar até a loja: preparar funcionários para que consigam oferecer atendimento qualificado online  e possam expandir divulgação da loja.

:: Explorar redes sociais: e-commerce é importante, mas vendas digitais não precisam se limitar isso. Divulgar produtos por redes sociais e tornar elas canais de comunicação com o cliente tornam um nicho importante de vendas. No entanto, cada empresa deve identificar o perfil de seu público, avaliar qual rede deve mais utilizar e dedicar atenção especial a ela.

:: Divulgue seus produtos/serviços e dê dicas de presentes em redes sociais, como Facebook e Instagram. Aproveite para fazer postagens orgânicas e também pagas já que as pessoas estão mais conectadas.

:: Utilize o WhatsApp para anunciar os itens. Mas cuidado! Envie uma mensagem a cada dois ou três dias para não se tornar um incômodo.

:: E-mail marketing pode ser uma boa opção, mas também é importante observar a frequência com que as comunicações são disparadas.

:: Utilize as mídias digitais, especialmente Facebook, Instagram e Whatsapp, como canais de venda. Que tal oferecer ainda o frete grátis junto com algum outro benefício, como o parcelamento das compras sem juros?

:: Mais do que nunca, dê atenção especial às interações dos internautas nas redes sociais. Atenda com dedicação: entenda as necessidades, esclareça todas as dúvidas, informe valores e envie fotos dos produtos. Lembre-se que à venda pode ser concretizada no meio digital.

:: Para tentar conseguir oferecir descontos que não prejudiquem ainda mais o faturamento, busque parcerias com fábricas e fornecedores, que também precisam desovar seus produtos e essas parcerias podem tornar esse desconto viável. 

Fonte: CDL Caxias e Sindilojas Caxias

Leia também
Justiça concede liminar e AirBnb é proibido de realizar reservas em Gramado
Empresária recontrata 45 pessoas demitidas no início da pandemia

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros