Gramado autoriza retomada das atividades de hotéis, parques e museus - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Novo decreto07/05/2020 | 09h19Atualizada em 07/05/2020 | 13h50

Gramado autoriza retomada das atividades de hotéis, parques e museus

Funcionamento fica limitado a 50% da capacidade, entre outras regras de segurança

Gramado autoriza retomada das atividades de hotéis, parques e museus Claudia Alessi/Agência RBS
Hotéis da cidade estavam fechados desde março Foto: Claudia Alessi / Agência RBS

Hotéis, hostels, pousadas e motéis de Gramado, na Serra, poderão retomar as atividades de forma parcial nesta semana. A autorização ocorreu por meio de decreto publicado no início da noite desta quarta-feira (6). O documento também permite o funcionamento de parques turísticos, áreas ou ambientes temáticos e museus, entre outras atividades do ramo. Não estão autorizados campings e serviços de aluguel de temporada, cuja uma das plataformas que oferece a modalidade, o AirBnb, está suspensa pela Justiça na cidade.

Leia mais
Justiça concede liminar e AirBnb é proibido de realizar reservas em Gramado
Gramado entra com ação para impedir AirBnb de ofertar imóveis no município 

Para que possam reabrir, contudo, os estabelecimentos precisam seguir uma série de regras e apresentar um plano de contingência para o enfrentamento da pandemia. Empreendimentos do ramo hoteleiro, por exemplo, podem oferecer somente 50% dos quartos e terão que manter fechadas áreas de uso coletivo, como piscinas e academias. No caso de hostels, que muitas vezes oferecem quartos coletivos, a distância entre as camas deve ser de, no mínimo, três metros. Beliches ou treliches não são permitidos.

Os serviços de hospedagem também terão que garantir a distância de dois metros entre as pessoas no momento do checkin e checkout e servir café da manhã somente no sistema à la carte. O decreto ainda recomenda a suspensão do serviço de manobrista e proíbe a utilização de sistemas de ar condicionado central.

Já os parques temáticos e demais empreendimentos de lazer deverão garantir o distanciamento mínimo de dois metros entre os frequentadores. Além disso, a venda de ingresso deve ocorrer prioritariamente online, para evitar filas e aglomerações.

O decreto também obriga o uso obrigatório de máscaras para todos que estiverem fora de casa, o que inclui o transporte coletivo. Cidadãos que descumprirem as medidas de segurança poderão ser multados em R$ 100, enquanto o valor para as empresas chega a R$ 3 mil.

A intenção inicial do município era liberar o funcionamento somente a partir de sexta-feira (8) para dar tempo dos hotéis apresentarem o plano de contingência. Contudo, por um equívoco interno, o decreto saiu sem o prazo. Ainda assim, o prefeito João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT), acredita que a abertura não vai ser imediata devido à necessidade de entrega do documento. De acordo com ele, a não permissão de campings e aluguel por temporada ocorre devido à falta de condições de fiscalização.

— Alguns imóveis, não são a maioria, são até mesmo clandestinos. É importante que corretores e plataformas como Booking e AirBnb não fiquem ofendidos. A clandestinidade não decorre da atividade deles — observa.

Demissões na gastronomia e hotelaria

Apenas em abril o setor da gastronomia e hotelaria de Gramado registrou 815 demissões e 1.250 suspensões de contrato. O número de desligamentos representa 20% do total de quatro mil empregados que havia antes da pandemia.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio Hoteleiro e Similares de Gramado (Sindihoteleiro), Rodrigo Callais, a expectativa é de que o turismo na cidade comece a reagir somente na temporada de inverno. Resultados mais consistentes, contudo, não são esperados antes do Natal Luz, isso se a pandemia não se prolongar. Se as projeções se confirmarem, não deve haver uma retomada do emprego tão cedo.

— O fato de somente autorizar a reabertura não significa retomar a economia. Dependemos da vinda das pessoas. O que temos conversados com algumas empresas é que elas não se sentem seguras em abrir. Mesmo com 50% acreditamos que a maioria vai permanecer um tempo fechada — avalia.

Já Mauro Salles, presidente do SindTur, sindicato que representa as empresas do setor turístico da Região das Hortênsias, diz não ter dados a respeito do impacto financeiro do setor. Apesar disso, aponta a queda de 90% na arrecadação de Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), a principal atividade econômica do município, pela prefeitura durante a pandemia. Ainda assim, ele acredita que o impacto no emprego poderia ser ainda pior, caso medidas não tivessem sido adotadas.

— Desde o início da crise trabalhamos para oferecer condições de acordo com as empresas. Tudo o que saiu nas medidas provisórias dos governos já tínhamos feito de antemão. Por isso acredito que tenhamos tido um número de demissões menor do que teria normalmente numa situação assim.

Leia também
Mesmo com liberação da Prefeitura, Esportivo ainda definirá quando retorna aos treinos
Caxias do Sul tem 71 infectados pelo coronavírus
Farroupilha registra a segunda morte por complicações causadas pelo coronavírus 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros