Aeroporto de Caxias do Sul segue sem data para retomada de voos comerciais - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Pandemia31/05/2020 | 14h45Atualizada em 31/05/2020 | 14h45

Aeroporto de Caxias do Sul segue sem data para retomada de voos comerciais

Operações foram suspensas no dia 28 de março

Aeroporto de Caxias do Sul segue sem data para retomada de voos comerciais Leonardo Portella/Divulgação
Foto: Leonardo Portella / Divulgação

Ainda não há data para a retomada dos voos comerciais no Aeroporto Regional Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul. A Gol Linhas Aéreas, que havia previsto inicialmente o retorno no dia 4 de maio, segue com as operações suspensas, pelo menos, até o final de junho. A volta a partir de julho depende da demanda do mercado.

Leia mais
Paralisado por conta da pandemia, setor hoteleiro da Serra Gaúcha parte para retomada

A empresa aumenta, a partir desta segunda-feira (1º), a malha essencial. Serão voos para 39 diferentes destinos no Brasil. Em maio, eram para 27. 

"A malha da companhia é dinâmica e constantemente revisada para melhor atender à demanda de seus clientes e os movimentos do próprio mercado", diz a empresa, em nota.

A Azul Linhas Aéreas também informa que não há data para a retomada dos voos em Caxias do Sul. A previsão inicial era 1º de julho, mas ela pode não se confirmar. A companhia está operando com voos para três destinos internacionais e 40 dentro do país. Cinco voos dentro do país serão adicionados à malha essencial da empresa em junho.

"Kits com luvas, álcool em gel e lenço umedecido abastecem os aviões a cada novo voo e estão à disposição para uso dos clientes e dos tripulantes da Azul, quando necessário", completa a companhia em comunicado.

Caxias do Sul está sem voos comerciais desde 28 de março. A Gol realizou os últimos embarques e desembarques no dia anterior, 27. Já a Azul Linhas Aéreas interrompeu temporariamente as operações no dia 23 daquele mês. O Hugo Cantergiani tinha, até então, três voos diários. Dois eram operados pelo Gol, com destino a Congonhas, e um pela Azul, com destino a Campinas, ambos em São Paulo. 

O aeroporto permanece aberto para voos executivos e transporte médico (de órgãos, por exemplo), além de prestar suporte para voos noturnos da base aérea da Brigada Militar.

Leia também
Particulares testam mais que empresas na Serra
Subocupação, sobrecarga e precarização: impactos da crise podem ser piores para trabalhadores
Daniel Randon é eleito o melhor CEO da América Latina

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros