CDL vai buscar na Justiça reabertura do comércio em Caxias - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Caixa-Forte16/04/2020 | 09h21Atualizada em 16/04/2020 | 09h36

CDL vai buscar na Justiça reabertura do comércio em Caxias

Entidade vai ingressar com ação solicitando flexibilização ao Estado e ao município

CDL vai buscar na Justiça reabertura do comércio em Caxias Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul, Renato Corso, recebeu com indignação a decisão do governador Eduardo Leite (PSDB) de manter o comércio da Região Metropolitana da Serra fechado até o final do mês. A principal expectativa do setor é de que o governador recue da decisão e permita flexibilização ou obter na Justiça uma decisão favorável à reabertura. A entidade pretende ingressar contra o decreto do Estado e o do município. Corso argumenta que outros setores já retomaram e, mesmo assim, não houve um aumento maior de casos de coronavírus na cidade. Em entrevista nesta quinta-feira (16) ao programa Gaúcha Hoje da rádio Gaúcha Serra, o presidente da CDL, desabafou:

 — Recebemos com muita surpresa a decisão do governador. Aqui abriu tudo, feira do agricultor, lotéricas, restaurantes, salão de beleza. Os bancos têm filas. Farmácia e supermercados abertos e o supermercado vende de tudo e concorre com todos pequenos empreendedores. A gente quer o mesmo entendimento para o comércio.

Leia mais
Comércio seguirá fechado na Serra, mas lideranças reagem e querem convencer governador do contrário
Decepção geral: lideranças reforçam cenário de crise extrema com manutenção do comércio fechado na Serra

A CDL encaminhou aos governantes a previsão de prejuízos dos comerciantes de Caxias que chegaria a R$ 144 milhões com as lojas fechadas até o fim de abril.

 — Acho que tem de ter o bom senso do governador de olhar para a Serra Gaúcha. O governador não pode ter o mesmo critério de Caxias com Nova Pádua e nem o mesmo que teve de Porto Alegre com Caxias. Vamos ter desemprego e ele já começou — alerta o comerciante, citando indústrias e hotéis que já demitiram na região.

Segundo o presidente da câmara setorial, a sugestão para a reabertura é abrir o comércio com 30% do quadro de funcionários, colocando uma pessoa na porta controlando a entrada de uma ou duas pessoas por vez e usando máscaras.

— O grupo de risco tem que ficar em casa. Quem não precisa, não vai. É só para quem realmente precisa — defende Corso.

O plano B, caso a pressão do setor para flexibilização não surta efeito,  é vender pelas redes sociais, sugere o presidente da CDL.

Leia também
Descontos entre 10% e 50% para aluguéis renegociados em Caxias
Mesmo com força-tarefa, término da expansão do Hospital Geral, em Caxias, é inviável durante pandemia
Confira a dica do Pedro Guerra para se manter bem durante o isolamento social

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros