Polícia irá investigar supostas irregularidades em posto de combustíveis de Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Inquérito10/02/2020 | 16h42Atualizada em 10/02/2020 | 16h49

Polícia irá investigar supostas irregularidades em posto de combustíveis de Caxias do Sul

Operação na semana passada identificou erros acima do permitido

Polícia irá investigar supostas irregularidades em posto de combustíveis de Caxias do Sul Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A Polícia Civil irá instaurar inquérito para apurar supostas irregularidades em um posto de combustíveis de Caxias do Sul. A investigação surge após a Operação Combustível Legal ter sido deflagrada na semana passada. A ação, realizada em conjunto com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), identificou problemas em um estabelecimento no bairro São Pelegrino.

Leia mais
ICMS trava redução do preço da gasolina
Diferença do preço da gasolina chega a R$ 0,41 em Caxias

A fiscalização em Caxias aconteceu na manhã do dia 5. Dos 16 bicos de abastecimento, oito apresentaram erros acima do permitido, ocasionando a entrega de menos combustível do que o comercializado pelo posto. As bombas consideradas irregulares foram interditadas pelo Inmetro até o saneamento das irregularidades detectadas.

Conforme o titular da Delegacia de Polícia de Proteção ao Consumidor (Decon), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Joel Wagner, a fraude em bombas de combustíveis significa que o consumidor está pagando por uma quantidade do produto maior do que a que realmente foi colocada em seu veículo.

O posto poderá responder por crimes contra a ordem econômica e contra as relações de consumo. O delegado Wagner preferiu não revelar o nome do posto fiscalizado em Caxias. A previsão é que o inquérito seja concluído em 30 dias.

A Operação Combustível Legal foi realizada também nas cidades de Passo Fundo e Getúlio Vargas. Em Passo Fundo, o Inmetro constatou que a verificação volumétrica estava correta, porém, os policiais civis verificaram indícios de que o lacre que dá acesso à regulagem da vazão de combustível nos bicos estaria violado (frouxo), permitindo o acesso ao mecanismo que regula a quantidade de vazão de combustível. O instrumento foi interditado e o estabelecimento comercial submetido a sanções administrativas.

Leia também
Grupo de Bento Gonçalves passará a operar com escritório nos Estados Unidos
"Muitas vezes o empresário foca só na produção e esquece da gestão", afirma vice-presidente de Serviços da CIC Caxias
Para se destacar no mercado, empreendedores exploram conceitos diferenciados de negócios em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros