Eleita a maior exportadora de vinhos do Brasil, empresa de Flores da Cunha cresceu 200% no mercado externo nos últimos anos - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

+ Serra24/02/2020 | 07h30Atualizada em 24/02/2020 | 07h30

Eleita a maior exportadora de vinhos do Brasil, empresa de Flores da Cunha cresceu 200% no mercado externo nos últimos anos

Produtora de bebidas possui mais de 20 marcas e mix de 100 produtos

Eleita a maior exportadora de vinhos do Brasil, empresa de Flores da Cunha cresceu 200% no mercado externo nos últimos anos Antonio Valiente/Agencia RBS
Isaias (E) e Julio Fante dedicam amplo de estudo antes de explorar clientes estrangeiros Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Leia mais
>>>
Com baixa de Argentina como parceiro comercial, setores econômicos da Serra prospectam novo modelo no mercado externo

Por dois anos consecutivos, a Fante Bebidas, de Flores da Cunha, foi eleita pela Associação dos Dirigentes de Marketing e Vendas do Brasil (ADVB/RS) como a maior exportadora de vinhos do Brasil e a principal distribuidora de destilados no Estado para o mercado externo. Nos últimos anos, a empresa registrou incremento de 200% em exportações e espera neste ano alcançar 20 destinos de fora do país para recepcionar um mix de mais de 100 produtos.

O sócio-diretor da empresa, Julio Fante, reconhece que o segmento tem diferenças em comparação ao metalmecânico,  principal afetado pela instabilidade econômica de outros países. Ainda assim, se alguém pensa que o "comércio de bebidas" é um mercado de demanda ininterrupta e sucesso garantido, engana-se: os bons resultados decorrem de metódico planejamento.

— É um mercado mais estável do que o metalmecânico, por exemplo, pois no nosso caso, uma vez que penetramos nos outros países, tudo é questão de a marca ganhar força e de continuarmos alimentando isso. Mas até chegar a esse ponto, podemos dizer que se desenvolve um trabalho de "lavoura". Temos de preparar o terreno, que é outro país, investir, plantar o produto, esperar e cuidar até começar a dar fruto — destaca Julio.

A analogia do empresário é coerente com a política da empresa, que prioriza o estudo de perfil de cada destino antes de começar, de fato, a explorá-lo.

— O trabalho que é feito junto ao mercado é a pesquisa e público-alvo do produto. Tem de reconhecer a potencialidade do produto. Nosso produto precisa de uma capilaridade muito grande, de expansão. É fundamental que se tenha parceria adequada para cada região, com itens que atendam ao desejo de consumo — acrescenta Julio.

De acordo com o gerente de exportações da empresa, Isaias Fante, é por meio do estudo do perfil de consumo que se estabelece justamente qual produto pode ter potencial, antes de ser considerada a introdução de todas as marcas produzidas pela Fante:

— Levantamos perfil do importador e buscamos dentro do mix de produtos qual é o foco do país e com qual linha devemos entrar. Alguns países são vinhos, outros espumantes, outros destilados. Depois de estabelecidos no mercado é que podemos explorar outras opções dentro do nosso mix.

Intuição técnica

Pela experiência adquirida em mais de 20 anos (das cinco décadas de atividades) que a empresa trabalha com exportações, Julio ressalta que foi possível criar uma percepção de resposta de mercado.

— No primeiro ano, 90% da percepção de mercado já se define o potencial. Mas é importante também ter persistência onde se aposta — ressalta.

Atualmente, os principais clientes da Fante estão localizados na América do Sul e Central. Porém, a empresa já indica crescimento nos mercados africano, norte-americano e europeu. 

Princípios da Fante

Persistência

"Mesmo que um mercado que trabalha há um bom tempo esteja patinando, muitas vezes é preciso investir, pois nem todos os resultados são rápidos. Porém, não se pode parar de prospectar outros países."

Leitura do mercado 

"É preciso saber o que se vai vender antes de explorar o país, não é simplesmente chegar com a pasta com produtos."

Estratégia de penetração

"É necessário definir como pretende ganhar mercado. Pode-se optar por eleger uma rede de supermercado e trabalhar só com ela, posso ter vendedor que distribui para os supermercados ou posso ter uma parceria que vai fazer essa gerência no outro país."

Respeitar a particularidade dos outros países

"Todo país está abastecido, nenhum é virgem em termos de produtos. Se chegou nos Estados Unidos, eles já têm uma estrutura montada, não vai inventar nada, tem de fazer a penetração dentro do que existe e respeitar essas particularidades".

Leia também  
Conheça as candidatas ao Prêmio Empreendedorismo Feminino 2020
Receita Federal deve receber 129 mil declarações de Caxias do Sul 


 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros