"Não vamos interferir se isso atrasar o projeto", garante secretário estadual sobre Aeroporto da Serra Gaúcha - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Impasse23/01/2020 | 14h21Atualizada em 23/01/2020 | 14h21

"Não vamos interferir se isso atrasar o projeto", garante secretário estadual sobre Aeroporto da Serra Gaúcha

Indecisão sobre quem bancará indenizações de área onde será instalada estrutura vai ser debatida em Brasília

"Não vamos interferir se isso atrasar o projeto", garante secretário estadual sobre Aeroporto da Serra Gaúcha Bibiana Ribeiro Mendes/Divulgação
Foto: Bibiana Ribeiro Mendes / Divulgação

Após sucessivas negativas diante de pedidos da prefeitura de Caxias do Sul para que o Estado auxiliasse no pagamento das indenizações da área do futuro Aeroporto da Serra Gaúcha, em Vila Oliva, o governo de Eduardo Leite (PSDB) decidiu se colocar à disposição para participar mais ativamente do projeto. A mudança de postura, no entanto, ocorre  justamente quando o município já detém a autorização da Câmara de Vereadores para contrair empréstimo de R$ 30 milhões que viabilizaria as desapropriações. 

Leia mais
Governo do Estado reitera intenção em assumir indenizações de área de aeroporto da Serra Gaúcha

Desde que Flavio Cassina (PTB) assumiu como prefeito no início deste ano, o governo estadual sinaliza intenção de contribuir nas etapas que antecedem a obra, ainda sem data para iniciar. Porém, um encontro entre integrantes da prefeitura de Caxias e do Executivo estadual na manhã desta quinta-feira (23) no Palácio Piratini, em Porto Alegre, reforçou a indefinição sobre quem bancará as indenizações. Após a reunião, em nota, o Estado reiterou interesse em arcar com o valor referente às desapropriações.

O secretário extraordinário estadual de Parcerias, Bruno Vanuzzi, ressalta que o encontro serviu para alinhar o projeto entre os entes. 

— Vamos a Brasília para termos posicionamento do governo federal em relação ao melhor arranjo da participação de Estado e município no projeto. De forma alguma, não vamos interferir se isso atrasar o projeto de qualquer forma. O objetivo da reunião foi deixar claro que o Estado quer ajudar — defende Vanuzzi.

Ele alega que a participação maior do Estado no tema foi motivada a partir de provocações do prefeito cassado, Daniel Guerra (Republicanos):

— Quem provocou a participação do Estado foi o ex-prefeito Daniel Guerra (Republicanos). O Estado então solicitou a documentação necessária para a começarmos a elaborar o instrumento jurídico que viabilizaria essa relação entre prefeitura e Estado para desapropriação das áreas. Se o Estado não faz desapropriação quando prefeitura quer, está se omitindo, se o Estado diz que quer ajudar, está interferindo. Aí não dá — afirma, negando que haja queda de braço entre os executivos e de que todas as interlocuções foram sempre "colaborativas".

Já a preocupação principal do município é não atrasar o andamento do projeto.

— A outorga do aeroporto está com o município e, além disso, já temos um termo de compromisso assinado, ou seja, a verba é para o município. Nossa preocupação é demorar com a decisão de quem vai pagar essa indenização e corrermos risco de perder essa verba. Decidimos ir para Brasília nas próximas semanas e conversar sobre esse assunto na Secretaria da Aviação Civil — comenta o secretário da Receita, Gestão e Finanças de Caxias, Paulo Dahmer, que responde pelo projeto por parte do município.

Ainda assim, na visão de Dahmer, a intervenção do Estado é positiva:

— O governador mostrou que está bem por dentro do assunto. Eu acho que está correto (o envolvimento do Estado no assunto), pois tem de se verificar se há possibilidade de o governo fazer esse aporte de recursos. 

Além do governador Eduardo Leite e do prefeito de Caxias, Flavio Cassina (PTB), participaram da reunião o vice-prefeito Elói Frizzo, o presidente da Câmara de Vereadores, Ricardo Daneluz (PDT), a vereadora Paula Ioris (PSDB), o reitor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Evaldo Kuiava, e o presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, Ivanir Gasparin e empresários. Por parte do Estado, estiveram presentes os secretários de Governaça e Gestão Estratégica, Claudio Gastal; de Logística e Transportes, e Juvir Costella e de Parcerias, Bruno Vanuzzi.

Leia também
Após sofrer por anos com fungo, pesquisas apontam alternativas para resgatar cultivo de kiwi em Farroupilha
Safra da maçã deverá ser maior nos Campos de Cima da Serra em 2020, mas com frutas menores

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros