Alimentos orgânicos tiveram crescimento de 20% em Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

+Serra20/01/2020 | 06h00Atualizada em 20/01/2020 | 18h06

Alimentos orgânicos tiveram crescimento de 20% em Caxias do Sul

Crescimento foi alcançado na safra 2018/19

Alimentos orgânicos tiveram crescimento de 20% em Caxias do Sul Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

O cultivo de alimentos orgânicos ganha cada vez mais espaço e se consolida no mercado da alimentação saudável. Segundo o Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), o cultivo destes produtos cresce, em média, 15% ao ano no Brasil. Em 2019, o setor movimentou R$ 4,5 bilhões. Poderia ser maior se a crise não tivesse atingido em cheio o solo brasileiro. Mesmo assim, 2019 ficou marcado como o ano dos orgânicos em movimento.

– Foi um ano em que ganharam vida própria. Rompemos a barreira das 20 mil unidades produtivas e o varejo entendeu a importância do orgânico no portfólio dos saudáveis – observa  o diretor executivo da Organis, Clauber Cobi Cruz.

O Estado segue o movimento nacional. Dados do Centro Ecológico de Ipê indicam que, na Serra, 47 municípios estão envolvidos com a produção de orgânicos, em mais de 400 propriedades certificadas. No RS, este mercado movimentou cerca de R$ 880 milhões em 2018.

– Não tem como fugir da onda de consumo que está vindo por aí e que aumenta a cada ano – aponta o consultor do Centro, Leandro Venturin.

Mesmo assim, a produção ainda não atende à demanda.  A Cooperativa de Agricultores e Agroindústrias de Caxias (CAAF), por exemplo,  pretende inserir  os orgânicos na alimentação escolar, mas não há oferta suficiente.

– O desafio está em convencer o agricultor a fazer a reversão da produção convencional – avalia Marcos Regelin, gerente da cooperativa.

Dos mais de 1,1 mil hectares de área de orgânicos plantados na Serra, 914 são de videiras. O produtor caxiense Antônio Rossi, 57 anos, foi um dos pioneiros no cultivo de uva sem veneno. Começou a reversão do parreiral 1997 com meio hectare de área plantada. Hoje, com quatro hectares de videiras cobertas, suas uvas são um sucesso. A venda da safra está garantida.

– Se tivesse mais, venderia tudo também – garante Rossi.

Ele lembra que os primeiros 10 anos foram muito difíceis.

– Poucos entendiam a diferença entre os orgânicos e os convencionais. 

A insistência e a vontade de produzir sem o contato com agrotóxicos prevaleceu. Com previsão de colher 80 toneladas, boa parte da uva vai para Santa Catarina e São Paulo. O resto vai direto para os mercados da região. O preço do quilo fica entre R$ 6 e R$ 7. Nas gôndolas, o valor passa de R$ 10. 

O alto preço pago pelo consumidor final ainda é um entrave para o setor deslanchar. Se comparado com os produtos convencionais (com veneno), a diferença pode chegar a 40%. 

– Com a previsão de entrada de grandes empresas na produção de orgânicos, o custo tende a cair – prevê Venturin. 

Mesmo assim, quem consome de forma consciente não reclama do preço.

– É um investimento na saúde – lembra Rossi. 

O gosto pelos orgânicos e a certeza de que o setor só vai crescer faz a família Rossi diversificar a produção. A propriedade também produz batata inglesa e feijão. Tudo sem agrotóxico.

– Vamos ampliar ainda mais, pois o retorno é garantido. Não é fácil, mas aqui não entra qualquer tipo pesticida.

No RS

:: São quase 3.898 mil propriedades certificadas.

:: Mais de 4,5 mil hectares de área plantada.

:: Em 2018, o faturamento passou de R$ 880 milhões.

:: O crescimento na produção foi de 20%.

Na Serra

:: 47 municípios estão envolvidos com a produção de orgânicos.

:: São 405 propriedades certificadas. Representam 12,4% da produção no RS.

:: São 1,2 mil hectares de área plantada. Desses, 914 hectares são de parreirais.

:: Na safra 2019/20

, estima-se que a colheita de uvas orgânicas passe de 10 mil toneladas. 

:: Foram produzidos 8,5 milhões de litros suco de uva integral.

:: O crescimento na produção foi de 20%.

:: Os municípios que mais produzem são Garibaldi, Farroupilha, Bento Gonçalves e Antônio Prado. 

Em Caxias

:: O município não tem dados oficiais sobre a produção de orgânicos. A Secretaria da Agricultura aponta para 156 hectares de área plantada e cerca de 30 famílias envolvidas. Os produtos mais produzidos são: uva, morango, tomate e folhosas.

Leia também:
Preço médio da gasolina em Caxias tem leve queda e valor médio fica em R$ 4,78
Confira quatro passeios para celebrar a vindima em Nova Roma e na Serra
Fábrica de sorvetes de Caxias do Sul lança produto em parceria com a Casa da Ovelha 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros