"Nós temos excelente atendimento no varejo de Caxias", defende próximo presidente da CDL Caxias - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Entrevista26/12/2019 | 14h27Atualizada em 26/12/2019 | 14h27

"Nós temos excelente atendimento no varejo de Caxias", defende próximo presidente da CDL Caxias

Renato Corso assume entidade em 1º de janeiro

"Nós temos excelente atendimento no varejo de Caxias", defende próximo presidente da CDL Caxias Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Renato Corso tinha 15 anos quando começou a trabalhar. Iniciou no depósito da tradicional Importadora de Ferragens Triches e lá permaneceu por 21 anos, chegando ao cargo de gerente. Da experiência,decidiu abrir o próprio negócio e, há 21 anos, administra a Porcelana e Cia, localizada no loteamento Sanvitto. O envolvimento de 45 anos com o varejo deu-lhe respaldo para comandar a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias. 

Atualmente, a entidade possui em torno de 4,3 mil sócios, sendo uma das cinco maiores CDLs do país – entre 2 mil entidades do país. Corso assume a presidência da entidade oficialmente em 1º de janeiro de 2020 e permanece na função até 2022.Ao Pioneiro, ele falou sobre sua trajetória e perspectivas frente à entidade.

O senhor comentou que tem 60 anos e que se dedica ao varejo há 45 desses. Começou com 15 anos? Outros tempos?

Sim, perdi meu pai com cinco anos,precisei trabalhar cedo, mas me dediquei para o varejo porque me encontrei. Tive líderes que me inspiraram bastante, marcaram minha vida. Gente que me mostrou a valorizar o consumidor e o fornecedor.

E daquela época para hoje, na sua visão, o que mudou em termos de gestão empresarial?

O lojista é um herói neste país, principalmente pela carga tributária que paga. No meu segmento, por exemplo, chego a ter 47% de impostos. Temos concorrência de Estados vizinhos que têm impostos menores. Tem empresas de Caxias montando filiais e saindo de Caxias, deixando de gerar emprego aqui. É uma situação muito triste para o Rio Grande do Sul.

E onde uma entidade representativa entra para atuar e tentar mudar esse cenário? 

Quando comecei a entender sobre associativismo, passei a perceber a importância da CDL para pequenos empreendedores, que representam 95% dos negócios no Brasil. E ter uma entidade forte como uma CDL, com 60 colaboradores preparados e dedicados a ajudar o empreendedor e o associativismo é muito importante.

Temos cenário de pessoas que decidiram empreender pela falta de oportunidades no mercado de trabalho, porém acabam muitas vezes não tendo a qualificação necessária. Como a CDL auxilia nesses casos?

A CDL se articula com parceiros como Sebrae,UCS (Universidade de Caxias do Sul). Já para 2020 temos planejamento e orçamento aprovados pelo conselho (da entidade). Teremos 10 cursos da Cipa, 10 de escolas de negócio, cursos de formação de gestores, palestras, pesquisas. A CDL entrega muito para o associado, há pesquisas para sentir o que o associado precisa. Vamos aos bairros justamente porque sabemos que a realidade lá é diferente do centro da cidade.

O lojista do bairro está mais distante geograficamente. Há forma, então, de aproximá-lo?

Sim, estamos indo aos bairros. Tivemos ações recentes no Cruzeiro, no Santa Catarina, onde fomos ver as necessidades daquelas regiões.

De uma perspectiva de autocrítica, o que acha que falta ao lojista caxiense?

Estamos buscando, por meio de parceria do Sebrae e Sicredi, justamente nos aproximar mais do lojista e qualificá-lo. Ele (o lojista) precisa encantar mais o cliente, trabalhar com rede social, meios de comunicação, não pode mais esperar o cliente entrar na loja. Promovemos palestras, treinamentos que mostrem que o lojista não pode parar nunca.

Não há uma adesão tão efetiva em Caxias quando se trata de redes sociais e e-commerce. Acha que isso é sintoma de um comércio mais conservador?

Acho que isso vem crescendo (adesão ao digital), a CDL também faz um trabalho para qualificar o lojista nesse sentido. É um mundo novo, mas que está aí. Muitos lojistas ainda vão até as lojas físicas,testam o produto, para depois comprar na internet. Mas a gente tem de aprender a trabalhar isso, o fato de o cliente já ter chegado na nossa empresa já é um bom sinal.

Como se atrai esse cliente para comprar no seu estabelecimento?

Com parcerias com fornecedores. Acho isso fundamental, fazer parceria com fornecedor que faça com que o meu preço de venda possa ser o mesmo que o cliente compraria pelo site.

E o poder público? O que a CDL espera dessa relação?

A gente sempre teve excelente relacionamento com o poder público, com todos os prefeitos. Precisamos retomar isso. Poder público precisa das entidades e vice-versa. A gente precisa estar junto, vai passar essa fase difícil, não gostaria de comentar, julgar é muito fácil, mas sempre tivemos excelente relação com a prefeitura e os dois lados ganham com isso. O próprio Homens na Cozinha, entregamos R$ 280 mil na última edição para entidades carentes, ou seja, ajudamos a fazer gestão na assistência social.

O comércio ambulante é de fato uma ameaça?

Acho estranho quando o consumidor exige excelência de atendimento e produto de ponta, e tem o direito à troca, e isso tudo não ocorre quando compra do comércio ambulante. Atrapalha um pouco,sim,mas é responsabilidade do poder público resolver isso.

A CDL poderia auxiliar nesse sentido?

Acho que sim, a CDL poderia trabalhar junto com Sebrae, a mudar essa cara de comércio de rua, como mudou a questão do Camelódromo, por exemplo. Nessa linha podemos contribuir com o poder público. Fala-se muito em mau atendimento no comércio.

Qual a sua avaliação?

Nós temos excelente atendimento no varejo de Caxias. Quando você está na universidade e o professor dá uma aula ruim, você não abandona a universidade, não vai falar mal para sempre da universidade. O mesmo com o atendimento. Às vezes você entra na loja e é mal atendido só naquele dia, é um ser humano e tenho certeza que ele não tinha a intenção de atender mal.

Planos frente à CDL. Ideias, filosofia de trabalho...

Respeitar o associativismo, nosso associado e trabalharmos muito em oferecer treinamentos, cursos, palestras para melhorar a cara do varejo, tornar a CDL ainda maior referência ao associado.

Leia também
Vendas de Natal cresceram 9% nos supermercados gaúchos
Compras de Natal movimentam o comércio de Caxias do Sul

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros