Dia do Pão é comemorado na próxima quarta-feira - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

+Serra14/10/2019 | 05h59Atualizada em 14/10/2019 | 10h06

Dia do Pão é comemorado na próxima quarta-feira

Pelo menos 1,5 mil estabelecimentos vendem o alimento em Caxias do Sul

Dia do Pão é comemorado na próxima quarta-feira Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

No café da manhã, no almoço e no jantar. Francês, caseiro, fatiado ou artesanal. Independente da ocasião e do formato, o pão, invariavelmente, está na nossa mesa. O alimento é tão importante que tem até uma data para ser lembrado. O 16 de outubro (próxima quarta-feira) é dedicado a celebrar a iguaria, que teve uma média de faturamento mensal por empresa no primeiro semestre de 2019 no país de R$ 612.088,88, conforme o Boletim Metodologia Propan, elaborado sob encomenda da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip). O valor é 3,29% maior que no mesmo período do ano passado, quando o faturamento médio mensal por empresa foi de R$ 592.592,59.

Leia mais
Casal vende cerca de 100 pães por dia nas ruas de Caxias do Sul
Confeitaria é o forte da padaria Santa Catarina, em Caxias do Sul
Pão artesanal ganha espaço em Caxias do Sul
Com fabricação de 100 mil pães congelados por dia, padaria de Caxias quer dobrar produção até metade de 2020

Em Caxias do Sul, centenas de estabelecimentos vendem pão. Só de associados ao Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios (Sindigêneros) que comercializam o produto são 1,5 mil; empresas cadastradas ao Sindicato das Indústrias da Alimentação (Sindiali) são 328. Porém, não é possível saber quanto se produz e se vende na cidade, já que não há dados consolidados. Mas quem trabalha com pão garante que é o principal produto na hora da venda. E não só isso. Ele é responsável pela comercialização de outros alimentos. 

— O pão é o primeiro item que vende. Está na frente da carne, dos hortifrúti. É o item que traz as pessoas ao mercado e faz elas comprarem outros produtos. Pão não é o que dá dinheiro, mas é o puxador das vendas — destaca Eduardo Slomp, presidente do Sindigêneros, proprietário do mercado Croata e sócio do Multi Villagio. 

O cacetinho, como é popularmente conhecido no RS o pão francês, é o preferido dos caxienses. No entanto, vem registrando queda na produção de 2% a 3% em Caxias, conforme estimativa do Sindigêneros. A diminuição pode estar associada à adoção de uma dieta sem carboidratos e à busca por produtos com maior durabilidade. 

— Caiu o consumo de pão francês, mas aumentou de outros produtos. Uma vez, não se comia tanta batata-doce. Agora, os mercados aproveitam e assam junto dos pães. As pessoas estão substituindo. Também tem os que preferem pães que duram mais dias — diz Slomp. 

No país, a redução foi de 3,99% no primeiro semestre para o cacetinho. A sequência de queda — o consumo reduziu nos três meses iniciais do ano e continuou caindo até julho — preocupa a Abip. No Boletim Propan divulgado recentemente, a entidade destaca que, quando o pão francês tem um resultado abaixo do esperado, compromete a estrutura de ganhos.

"Daí a importância de se cuidar bem dos processos e qualidade na fabricação do pão francês. Um pão de qualidade chama a atenção dos clientes e, além da sua própria venda melhorar, impulsiona o consumo de produtos correlatos, ou mesmo ajuda a elevar o tíquete médio simplesmente por levar o consumidor às lojas e, estando lá, pode ser tomado por outros impulsos de compra", diz trecho do texto publicado no boletim, assinado pelo presidente da Abip, José Batista de Oliveira, e pelo diretor Márcio Rodrigues. 

Foto:

Campanha valoriza o pão francês

Como a sequência de queda no consumo do pão francês é uma preocupação da Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria (Abip), a campanha deste ano da entidade para comemorar o Dia Mundial do Pão tem justamente a iguaria como estrela. A intenção da campanha, intitulada Tudo de Pão Para Você, é valorizar o produto que representa 45% da venda de pães no país. 

— Apesar do nome, o pãozinho francês é coisa muito nossa. A campanha é um convite para que os clientes visitem as padarias de todo o Brasil, valorizem esse produto que é tão nosso, levem para casa o pão francês fresquinho e saboroso — destaca José Batista de Oliveira, presidente da associação. 

Nos últimos meses, a Abip trabalhou com os estabelecimentos que vendem pão a difusão da norma ABNT NBR 16.170 que, desde 2013, estabelece critérios de padronização e qualidade para produção do pão francês. Informações e materiais educativos gratuitos com as orientações de produção foram entregues em todo o país.

Leia também
Um ano difícil e suado para o empresariado
Empório gourmet vira franquia
Donos de postos de combustíveis em Caxias procuram o MPF para denunciar distribuidora

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros