Casal vende cerca de 100 pães por dia nas ruas de Caxias do Sul - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

+Serra14/10/2019 | 07h25Atualizada em 14/10/2019 | 10h11

Casal vende cerca de 100 pães por dia nas ruas de Caxias do Sul

Clientela reclama quando os dois "faltam" ao trabalho

Casal vende cerca de 100 pães por dia nas ruas de Caxias do Sul Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Há quase três anos, quem para no final da tarde no semáforo da Moreira César com a Perimetral Norte encontra pão novinho para levar para casa. A sacada foi do casal Alex e Gilvane Urbano. Incentivados por uma amiga de Curitiba, que vende pão nas ruas da capital paranaense, eles começaram o negócio em Caxias.

Leia mais  
Dia do Pão é comemorado na próxima quarta-feira
Confeitaria é o forte da Padaria Santa Catarina, em Caxias do Sul
Com fabricação de 100 mil pães congelados por dia, padaria de Caxias quer dobrar produção até metade de 2020
Pão artesanal ganha espaço em Caxias do Sul

O pão é feito por Alex, que deixou o emprego de operador de prensa para se dedicar exclusivamente à nova atividade — ele até tentou conciliar as duas funções nos primeiros meses, mas acabou tendo de deixar o emprego formal para dar conta da fabricação caseira. 

De segunda a sexta, por volta de 17h, os dois chegam no ponto e vendem os pães para quem passa pelo local, seja de carro ou a pé. A média de comercialização é de 80 a 100 pães por dia. Os recordes foram 137 pães em um único dia e 100 pães em 40 minutos — geralmente, eles permanecem no cruzamento pouco mais de uma hora. 

— Quando tem muita chuva fica difícil, o pessoal não quer abrir a janela do carro. Daí a gente doa para entidades como o Lar da Velhice. Só vendemos pão novo — acrescenta Gilvane. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (09/10/2019)Alex Urbano, 43 anos, e Gilvane de Souza Urbano, 41, vendem pães na Moreira César com a Perimetral Norte, em Caxias. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Além do pão caseiro, o casal vende pão de milho e de aipim. Cada unidade custa R$ 5. E a clientela já está formada. 

— Se a gente falta, o cliente cobra — conta Alex. 

Leia também  
Um ano difícil e suado para o empresariado
Empório gourmet vira franquia
Donos de postos de combustíveis em Caxias procuram o MPF para denunciar distribuidora  

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros