Nas Hortênsias: Caxias do Sul tem o desafio de se integrar à região onde turismo está consolidado - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

+Serra23/09/2019 | 07h05Atualizada em 23/09/2019 | 07h05

Nas Hortênsias: Caxias do Sul tem o desafio de se integrar à região onde turismo está consolidado

Cerca de 8 milhões de pessoas visitam o roteiro por ano

Nas Hortênsias: Caxias do Sul tem o desafio de se integrar à região onde turismo está consolidado Lucas Amorelli/Agencia RBS
Rua Coberta, em Gramado, é ponto central que atrai a circulação dos turistas que chegam de todo o país e do Exterior para conferir os produtos e programações que cidade soube divulgar Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Roteiro consolidado, a Região das Hortênsias não chegou a esse patamar por acaso. Houve uma forte aposta no turismo como matriz econômica e deu certo. Em Gramado e Canela, principais destinos dentro da rota, o segmento representa 85% da economia dos municípios. Ou seja, a vida das duas cidades depende do turista. Nova Petrópolis, São Francisco de Paula e Picada Café, os outros municípios que integram a região, ainda não estão no mesmo nível que as vizinhas, mas caminham para tornarem-se opções turísticas de fato.

Leia mais
Ministério divulga novo mapa do Turismo com Caxias do Sul na Região das Hortênsias

São cerca de 8 milhões de visitantes que passam pela região, por ano, conforme estimativa das prefeituras. O Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares e Similares da Região das Hortênsias (Sinditur) fala até em 12 milhões de hóspedes anualmente. Com Caxias do Sul, que acabou de se incorporar às Hortênsias, com a atualização do Mapa do Turismo, do Ministério do Turismo, publicado em agosto, esse número vai aumentar — mas ainda não é possível saber quanto, pois o último dado de turistas brasileiros que visitaram a cidade é de 2012 e apontava cerca de 500 mil. Caxias, que até então integrava a Região Uva e Vinho, encontra um roteiro que respira turismo 24 horas por dia. O ingresso é uma possibilidade de a maior cidade da Serra Gaúcha aprender como deslanchar com quem entende do negócio turístico. Vocação empreendedora o município já tem. 

— Temos muito a aprender com Caxias e vice-versa. É a segunda maior cidade do Estado, tem um aeroporto, tem a Festa da Uva, tem uma infraestrutura que podemos usufruir — defende o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Nova Petrópolis, Paulo Roberto Staudt. 

O perfil e a tradição diferentes podem ser aproveitados para oferecer mais opções aos turistas. 

— Eu tenho um Lago São Bernardo para oferecer. Caxias, a Festa da Uva. Gramado, o Festival de Cinema. Canela tem a Cascata do Caracol. Cada um tem de pegar as suas potencialidades e trabalhar de forma profissional — entende Rafael Costella Costa, secretário de São Francisco de Paula. 

A entrada de Caxias é também vista como uma oportunidade de fortalecer a região em busca de recursos, como para o futuro Aeroporto de Vila Oliva. 

— Caxias sozinha não está conseguindo fazer andar. Caxias tem necessidade de voos de carga e nós temos o público. 60% do movimento do Aeroporto Salgado Filho são de turistas para as Hortênsias — destaca Fernando Boscardin, membro do G30, grupo de empresários da Serra Gaúcha que discute e apresenta sugestões para o poder público em diversas áreas, incluindo o turismo. 

Divergências

Embora o ingresso de Caxias na Região das Hortênsias seja fato, o desconforto permanece entre prefeitura e entidades de Gramado. A falta de discussão com o trade turístico é um dos pontos que mais incomoda. Além de Caxias ter uma identidade ligada à uva e ao vinho, por conta da imigração italiana, e ao turismo de negócios, há outras questões que preocupam, como a convenção coletiva dos trabalhadores do setor, por exemplo. 

— A base de negociação em Caxias é a (região) Uva e Vinho. Não posso procurar os estabelecimentos e propor parcerias. Espero que o poder público nos procure e apresente projeto — reclama Mauro Salles, presidente do Sindicato da Hotelaria, Restaurantes, Bares e Similares da Região das Hortênsias, entidade que reúne 140 associados. 

A forma como os índices de violência de Caxias do Sul podem impactar negativamente na imagem do roteiro também inquietam. Não há informações, segundo o secretário de Turismo de Gramado, José Carlos Ramos de Almeida, de como isso será trabalhado por Caxias. 

— Um ponto que nos permite avançar é a questão da segurança. Hoje o que mais nos representa como uma qualidade é a segurança. Tu não vê policial na rua, aqui as pessoas andam tranquilas na rua à noite – diz o secretário. 

Pesquisa 

Gramado foi a quarta cidade mais procurada nas férias de inverno deste ano, de acordo com pesquisa do Ministério do Turismo, ficando atrás de Fortaleza (CE), Maceió (AL) e Natal (RN).

Aeroporto 

Durante o Natal Luz, o movimento de descida no Aeroporto Salgado Filho com destino às Hortênsias chega a 73%, conforme a prefeitura de Gramado. 

Foto:

Leia também
Cidades da Serra são pouco inteligentes, aponta ranking
Comércio tradicionalista registra em setembro mais do que o dobro da movimentação do restante do ano
Diretor da Marcopolo é o novo presidente da Fabus

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros