Avaliado em R$ 35 milhões, prédio da antiga Robertshaw, em Caxias do Sul, será leiloado em outubro - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Dívidas trabalhistas05/09/2019 | 12h52Atualizada em 05/09/2019 | 12h52

Avaliado em R$ 35 milhões, prédio da antiga Robertshaw, em Caxias do Sul, será leiloado em outubro

Representantes da empresa também negociam venda direta do imóvel

Avaliado em R$ 35 milhões, prédio da antiga Robertshaw, em Caxias do Sul, será leiloado em outubro André Fiedler/Agência RBS
Empresa encerrou as atividades em 2016 e prédio já foi alvo de saques Foto: André Fiedler / Agência RBS

A 2º Vara do Trabalho de Caxias do Sul marcou leilão do prédio da antiga Robertshaw, no bairro Exposição. São dois pregões, que serão realizados nos dias 2 e 11 de outubro, às 15h, no auditório da WTower, que fica na Rua Alfredo Chaves, próximo à prefeitura. A venda será realizada para o pagamento de dívidas trabalhistas.

Leia mais
Após furtos, Robertshaw retoma segurança privada em prédio onde funcionava a empresa em Caxias
Robertshaw fechará unidade de Caxias e demitirá 400 trabalhadores
Robertshaw vai leiloar bens de unidade fechada em Caxias avaliados em mais de R$ 1 mi

Conforme apurado pela reportagem, atualmente há 234 ações pendentes de ex-funcionários, inclusive de outros estados. Desse total, cerca de 100 estão atreladas ao processo do qual o leilão faz parte. Outras ações tramitam na 5ª Vara do Trabalho de Caxias. Ao todo, o passivo trabalhista da empresa chega a R$ 22 milhões, mas também há outros credores a serem pagos.

A área, de 20.590 metros quadrados, está desativada desde o início de 2016, quando a empresa encerrou as atividades na cidade. Na época, cerca de 400 funcionários foram demitidos e a produção foi transferida para a unidade de Manaus, que encerrou as atividades em 2017. O maquinário da empresa havia sido leiloado meses após o fechamento, para o prédio pudesse ser vendido. Há cerca de um ano, porém, o imóvel foi alvo de saques, com remoção de esquadrias, telhados e outros materiais.

De acordo com o leiloeiro Giancarlo Peterlongo Menegotto, o prédio e o terreno estão avaliados, juntos, em cerca de R$ 35,1 milhões. O preço de venda, porém, vai depender do leilão, já que a construção está danificada. Caso o valor avaliado se confirme, seria o suficiente para pagar, pelo menos as dívidas trabalhistas. No entanto, a reportagem apurou que representantes da Robertshaw negociam a venda direta do prédio, que pode se concretizar ainda antes do leilão.

Leia também
Serra registra mínima de -0,8°C durante a madrugada desta quinta-feira
Homem morre em acidente na ERS-324, em Nova Bassano

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros