Anúncio de fundo para setor vitivinícola fica para esse sábado - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Visita27/09/2019 | 22h33Atualizada em 27/09/2019 | 22h58

Anúncio de fundo para setor vitivinícola fica para esse sábado

Ministro-chefe da Casa Civil cumpre agenda na Serra e irá se reunir com entidades do segmento 

Anúncio de fundo para setor vitivinícola fica para esse sábado Juliana Bevilaqua/Agência RBS
Ministro Onyx Lorenzoni em visita ao Hospital Tacchini, em Bento Gonçalves Foto: Juliana Bevilaqua / Agência RBS

A criação de um fundo de apoio ao setor vitivinícola, previsto para ser apresentado em Bento Gonçalves nesta sexta-feira (27) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ficou para este sábado. Ele irá se reunir pela manhã com entidades ligadas à uva e ao vinho para detalhar a proposta. Se os representantes do setor concordarem com a iniciativa, a constituição do fundo será anunciada na Avaliação Nacional de Vinhos, evento que ocorre no Fundaparque.  

Leia mais
Onyx Lorenzoni diz que declarações polêmicas de Bolsonaro vão continuar, porque "população adora"
"Vamos vender tudo. O dia que o PT voltar, Deus nos livre, não vai ter mais nada para parasitar", diz Onyx Lorenzoni em Caxias do Sul
Em Caxias do Sul, Onyx Lorenzoni se compromete a conseguir R$ 2,3 milhões para obras no Pompéia

Conforme o ministro, o fundo terá como base o IPI e a intenção é preparar o setor vinícola brasileiro para enfrentar um "cenário de competição zero a zero" dentro de 10 anos com os produtos importados.  

— Esse fundo vai dar condição de expansão tecnológica, de área, atualização tanto na área produtiva quanto na industrial. Ele será constituído pelo governo federal e pelo setor e será administrado por uma comissão paritária com o objetivo de fazer o setor vitivinícola se preparar. Precisamos estar fortalecidos e esse tempo de queda gradual das alíquotas de importação e, ao mesmo tempo, o fundo ajudando para que as nossas vinícolas possam estar fortonas para ir para a briga pelo mercado não só brasileiro, mas internacional — disse, durante coletiva de imprensa no Hospital Tacchini, em Bento. 

Na instituição hospitalar, Onyx esteve reunido com a diretoria e com conselheiros, e recebeu como demanda recursos para expansão do hospital. Ele se comprometeu em marcar uma reunião da direção com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em Brasília, já na próxima semana. 

— O Tacchini tem projeto de expansão, precisa ampliar o número de leitos, precisa dar andamento ao projeto de parto adequado, tem uma série de reivindicações que precisam ser analisadas pelo Ministério da Saúde. Vamos conversar também com a Economia, porque tem processos de longo prazo que o hospital precisa, e aí vamos montar uma equação que possa permitir que o Tacchini continue fazendo esse trabalho — destacou. 

Além do pedido de ajuda, o ministro recebeu da direção do Tacchini uma ata escrita pelo bisavô dele, Julio Lorenzoni. O documento conta a história do hospital, criado há 95 anos. O bisavô de Onyx era imigrante italiano e se estabeleceu em Bento Gonçalves aos 15 anos. 

Ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, recebe em Bento Gonçalves, ata escrita pelo bisavô, Julio Lorenzoni.
Documento escrito pelo bisavô de Onyx, Julio LorenzoniFoto: Juliana Bevilaqua / Agência RBS

Após deixar o hospital, Onyx seguiu para a festa de 30 anos da Vinícola Miolo. O ministro cumpre agenda na Serra desde a manhã desta sexta-feira. Ele esteve também nos hospitais Pompéia e Geral, CIC de Caxias do Sul e UCS. Neste sábado à tarde, viaja a Porto Alegre e retorna a Brasília no domingo. 

Leia também
"Expediente politiqueiro", diz Daniel Guerra sobre novo pedido de impeachment
Sétimo pedido de impeachment contra prefeito Daniel Guerra é protocolado na Câmara de Caxias
Prefeitura de Farroupilha abre processo seletivo com salários de até R$ 4,6 mil 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros