Badesul e BNDES poderiam auxiliar indústria de vinhos com linhas de financiamento - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Expectativa do Ibravin19/08/2019 | 12h31Atualizada em 19/08/2019 | 12h33

Badesul e BNDES poderiam auxiliar indústria de vinhos com linhas de financiamento

Bancos assinaram declaração conjunta de apoio ao setor vitivinícola na sexta-feira

Badesul e BNDES poderiam auxiliar indústria de vinhos com linhas de financiamento Mateus Viapiana/Divulgação
Foto: Mateus Viapiana / Divulgação

O presidente do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Oscar Ló, considera que os bancos de desenvolvimento podem auxiliar o setor vitivinícola a enfrentar a concorrência dos vinhos importados com linhas de financiamento. Na última sexta-feira (16), em Porto Alegre, o Badesul e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) assinaram uma declaração conjunta para garantir apoio ao setor diante de possíveis perdas que poderão ser causadas pelo acordo econômico entre o Mercosul e a União Europeia, anunciado no fim de junho. Entre as ações conjuntas previstas, estão a oferta de técnicos e a construção de ações promocionais.

Mas o presidente do Ibravin observa que o documento é um protocolo de intenções, sem anúncio de nenhuma medida específica até o momento. Ló considera que a maneira pela qual os bancos mais poderiam auxiliar o setor seria com uma eventual criação de linhas de financiamento a juros baixos, tanto na modernização das vinícolas quanto na compra de estoques dos produtores. Mas esse ponto não chegou ser abordado em particular pelos bancos.

— Para enfrentar a concorrência da Europa, onde a indústria tem muitos subsídios, precisamos principalmente de redução de impostos e linhas de financiamento mais baratas — defende.

Leia mais
Para presidente do Ibravin, fundo do vinho anunciado pelo Governo Federal "ameniza, mas não resolve"
Ibravin atrasa salários e suspende ações

O presidente do Ibravin destaca também que, até cerca de três anos atrás, o governo federal contribuía com uma subvenção para o agronegócio como um todo, incluindo o setor vitivinícola, para financiamentos a juros menores que os de mercado. No entanto, nos últimos anos, a subvenção terminou. Segundo Ló, os juros para a compra de uvas, por exemplo, passaram de cerca de 6% a 7%, próximos da taxa Selic, a cerca de 10% a 12%.

A maior expectativa do Ibravin no momento, porém, é sobre a maneira como vai funcionar o fundo federal a ser criado para auxiliar o setor diante da maior concorrência prevista com o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. Os detalhes a respeito da operação deste fundo, no entanto, ainda não foram divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Leia também
Prefeitura de Caxias abre processo seletivo para estagiários
Quatro contêineres são queimados ao lado de escola em Caxias do Sul
UBS Mariani passará por reforma orçada em cerca de R$ 1 milhão

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros