Medeiros, tradicional comércio no Sagrada Família, completa 60 anos neste sábado - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Aniversário12/07/2019 | 20h28Atualizada em 12/07/2019 | 20h32

Medeiros, tradicional comércio no Sagrada Família, completa 60 anos neste sábado

Conheça a história do estabelecimento que começou como armazém em 1959

Medeiros, tradicional comércio no Sagrada Família, completa 60 anos neste sábado Antonio Valiente/Agencia RBS
Irmãos João Carlos e José Lauro abriram as portas do então armazém Medeiros em 13 de julho de 1959 Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Para quem mora ou já morou no Sagrada Família, em Caxias, é impossível imaginar o bairro sem o Medeiros. O estabelecimento comercial na esquina da Rua Conselheiro Dantas com a Tiradentes é um patrimônio do Sagrada. Patrimônio que está completando 60 anos de história neste sábado. 

Os irmãos José Lauro e João Carlos de Medeiros abriram as portas em uma sexta-feira, 13 de julho de 1959, em uma sala alugada, também na Conselheiro. Foram quatro anos até que inaugurassem o armazém no prédio próprio, atual endereço. Vendiam de tudo, desde gêneros alimentícios até fios e agulhas. Era o tal secos e molhados, muito comum em uma época em que não havia redes de supermercados, muito menos shopping centers. 

— Tinha muito movimento, a gente abria todo dia, levava rancho para toda a cidade — recorda Lauro, hoje aos 84 anos. 

As vendas eram feitas "no caderno", sistema também muito popular naqueles anos. Em um caderno, que ficava com o cliente, eram anotados todos os itens comprados e o valor gasto. No outro, do estabelecimento, o quanto o freguês devia. O cliente pagava no mês seguinte. 

— Mas só dava (o caderno) para gente de confiança — destaca Lauro.

Quando algum cliente atrasava o pagamento por dificuldades financeiras, os irmãos não deixavam de vender. Havia compreensão E, por isso, se criou com muitos um laço de amizade, a ponto de visitar na casa e tomar café ou chimarrão. O esquema de “pendura”, aliás, ainda é mantido. Clientes mais antigos ainda têm ficha no Medeiros. Dificilmente alguém deixa acumular para pagar no próximo mês, mas há quem peça para pagar depois, outro dia ou na semana que vem. E ninguém dá calote. 

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (11/07/2019)Lauro de Medeiros e João Carlos de Medeiros, irmãos e proprietários do Medeiros, estabelecimento comercial no Sagrada Família que completa 60 anos no dia 13 de julho de 2019. . (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Honestidade e bom atendimento

Há pouco mais de 20 anos, o negócio dos irmãos virou dois. Bazar e ferragem foram separados. Lauro ficou com a administração do primeiro e João Carlos, do segundo. No J.L.Medeiros, há um pouco de tudo: artigos para presente, material escolar, aviamentos, panelas, etc.

— As pessoas vêm procurar até o que não têm — brinca Gabriel, filho de Lauro, que ajuda o pai a tocar a empresa.  

No Medeiros Ferragem e Afiação, como o próprio nome sugere, há itens de ferragem e serviço de afiação de facas, tesouras, alicates — que é feito por Luciano, filho de João Carlos. 

A diversidade de produtos, marca dos irmãos desde o surgimento do Medeiros, é mantida e talvez explique a longevidade do empreendimento. Mas, para João Carlos, uma outra palavra expressa o segredo para tanto tempo de trabalho ininterrupto: 

— Honestidade. 

Ieda, esposa de João Carlos, completa:

— Bom atendimento também. 

— É, mas se tu não for honesto não se mantém – reforça João Carlos. 

A fórmula ser honesto e atender bem está dando certo há 60 anos. 

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (11/07/2019)Lauro de Medeiros e João Carlos de Medeiros, irmãos e proprietários do Medeiros, estabelecimento comercial no Sagrada Família que completa 60 anos no dia 13 de julho de 2019. . (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

História que começou no Juá

A trajetória de José Lauro e João Carlos no comércio, na verdade, tem bem mais de 60 anos. Os pais Arthur e Enedina de Medeiros eram comerciantes no Juá, interior de São Francisco de Paula. O estabelecimento, que também vendia de tudo, foi fundado em 1927 e garantiu o sustento dos quatro filhos — além de Lauro e João Carlos, eles tinham Maria Izaura e Leda.  

— A gente não sabe fazer outra coisa — diz João Carlos. 

A experiência adquirida no interior foi fundamental para empreender em Caxias. O feeling para o comércio em um período em que eram poucas as casas destinadas ao setor na cidade fez do Medeiros uma referência não apenas no Sagrada Família, mas para o entorno. 

— Naquele tempo, não tinha quase concorrência. O que colocava, vendia: roupas, até remédios. Formava fila para fazer compras — relembra Lauro.

Irmãos no comando

João Carlos era ainda uma criança quando começou a trabalhar com o irmão. Caçula da família, tinha apenas 10 anos, enquanto Lauro já tinha 24.  

— Para trabalhar atrás do balcão, com comida, tinha que ir no centro de saúde e fazer Raio X e mostrar as mãos para o médico — recorda. 

Hoje, João com 70 e Lauro com 84 seguem à frente do negócio. Trabalham diariamente, de segunda a sábado, atendendo e gerenciando os estabelecimentos com a ajuda dos filhos e esposas. Lauro, por exemplo, faz a contabilidade e apenas leva para um escritório especializado revisar e assinar. 

— Uma tradição que trago do meu pai é não deixar atrasar nenhum título. É muito importante para o comerciante a pontualidade — ensina. 

CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (11/07/2019)Lauro de Medeiros e João Carlos de Medeiros, irmãos e proprietários do Medeiros, estabelecimento comercial no Sagrada Família que completa 60 anos no dia 13 de julho de 2019. . (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Pioneiros

Em São Pelegrino, dois estabelecimentos ao estilo do Medeiros resistem ao tempo. O Armazém Lain, na Pinheiro Machado esquina com a Coronel Flores, completou 91 anos em janeiro. Luiz Andreazza Bazar e Ferragem está completando seu centenário neste ano.

Leia também
Comércio de Bento comemora redução da inadimplência
Projeto Hélice apresenta resultados de primeira etapa e anuncia novos parceiros
Crise na Argentina desacelera as exportações gaúchas

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros