Impasse sobre região turística deve dificultar recursos para poder público e empresas de Caxias - Economia - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Prejuízos31/07/2019 | 19h23Atualizada em 31/07/2019 | 19h23

Impasse sobre região turística deve dificultar recursos para poder público e empresas de Caxias

Programas de incentivo e qualificação exigem pertencimento à região turística como requisito para destinação de verbas

Impasse sobre região turística deve dificultar recursos para poder público e empresas de Caxias Luiz Chaves/Divulgação
Foto: Luiz Chaves / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Concomitante ao imbróglio que envolve a tentativa de mudança de Caxias do Sul para a Região das Hortênsias, Ministério do Turismo,  Sebrae-RS e Sedetur promoveram nesta quarta-feira (31), em Porto Alegre, o 13º seminário itinerante do Programa Investe Turismo. No evento, foram divulgados programas de incentivo ao setor no Estado, especialmente para as rotas turísticas "Porto Alegre e Serra Gaúcha" e "Porto Alegre e Missões".

— Esses programas, por exemplo, buscam a qualificação em uma série de aspectos do turismo do Brasil inteiro e o acesso a financiamentos ao poder público e empresas da iniciativa privada. E um dos primeiros requisitos para se ter acesso a esses recursos e aos programas de qualificação é estar no Mapa do Turismo Brasileiro e, para isso, pertencer a uma região — explica o agente setorial da Procuradoria Geral do Estado (PGE) na Sedetur, Rodinei Candeia.

Leia mais
Caxias do Sul ficará de fora do Mapa Turístico Brasileiro Liminar impede mudança de Caxias para a Região das Hortênsias
Prefeitura de Gramado não apoia entrada de Caxias do Sul na Região das Hortênsias  

Caxias, portanto, caso permaneça sem identificação regional, deixaria de usufruir dos mecanismos de fomento. 

— Retira a possibilidade, tanto do poder público quanto de empresas da região, de receberem esses benefícios — explica Candeia.

A secretária municipal do Turismo, Renata Carraro, reconhece que a possibilidade de não estar incluso em nenhuma região turística pode impactar de forma negativa:

— De certa forma, essa situação impacta o município, mas iremos trabalhar fortemente para que esses impactos sejam minimizados.

Questionada sobre que fatores teriam causado a confusão, Renata afirma:

— Uma série de fatores. O principal é não conseguirmos contratar com a Atuaserra em razão da sua falta de prestação de contas, impossibilitando, assim, a participação efetiva do município na região turística. 

Anteriormente, a prefeitura já havia justificado a decisão de mudança ao impasse envolvendo a  Associação de Turismo da Serra Nordeste (Atuaserra) — entidade que representa a Instância de Governança Regional (IGR) Uva e Vinho.

Na ocasião, a entidade informou, por meio de nota, que nunca foi notificada pela prefeitura acerca da pendência administrativa existente.

Leia também
Projeto busca obrigar divulgação de proibição do uso de formol em salões de beleza de Caxias
Festa de três dias e viagens internacionais: MP diz que família denunciada em Farroupilha tinha estilo de vida incompatível com a renda
Abertas as inscrições para concurso público da prefeitura de Vila Flores

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros