Com dívidas de R$ 48 milhões, caxiense Vidroforte tem plano de recuperação judicial aprovado - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Economia18/07/2019 | 10h58Atualizada em 18/07/2019 | 13h43

Com dívidas de R$ 48 milhões, caxiense Vidroforte tem plano de recuperação judicial aprovado

Assembleia com credores foi realizada na terça-feira (16)

Com dívidas de R$ 48 milhões, caxiense Vidroforte tem plano de recuperação judicial aprovado Divulgação Vidroforte/
Dívida da empresa soma R$ 48 milhões Foto: Divulgação Vidroforte

O plano de recuperação judicial da caxiense Vidroforte foi aprovado em assembleia com credores realizada na última terça-feira (16). A reunião ocorreu em Caxias do Sul e contou com representantes de 234 dos cerca de 500 fornecedores com alguma pendência a receber da empresa, que soma dívida de R$ 48 milhões.

Leia mais
Vidroforte, de Caxias, inicia processo de recuperação judicial
Baixa na construção civil ocasionou o fechamento de unidade da Vidroforte e na demissão de 30 funcionários

Conforme o escritório Medeiros & Medeiros, responsável pela administração judicial, a proposta foi rejeitada por apenas um credor. A assembleia ocorreu após dois adiamentos. Em um deles, em abril, a própria empresa sugeriu que a votação ocorresse em outra data porque as negociações ainda estavam em andamento. A reunião foi marcada para 13 de junho, mas acabou adiada novamente por falta de quórum. Com a aprovação do plano, que prevê prazos e de carência e pagamentos parcelados, as operações da companhia seguem normalmente e o acordo será encaminhado agora para homologação judicial.

Há 30 anos no mercado de beneficiamento de vidros, a Vidroforte teve o pedido de recuperação judicial aprovado no início de 2018 pela Justiça. A medida foi tomada após a empresa sofrer os efeitos da crise financeira.

Além da sede em Caxias do Sul, o grupo mantém centros de distribuição em quatro estados brasileiros e tem como coligadas as empresas Templex e Vidroforte Transportes, com negócios internacionais. A unidade que havia em Três Cachoeiras, no Litoral Norte, foi fechada em maio deste ano porque era deficitária.

A companhia fornece para os segmentos automotivo, de construção civil e outros setores de transporte, como trens e embarcações náuticas, além de máquinas agrícolas. Outros setores de atuação são de segurança, moveleiro e eletrodoméstico.

Leia também
Grupo de entidades de Caxias quer viabilizar um novo centro de eventos nos Pavilhões
Polícia investiga caso de homem desaparecido há cinco dias em Caxias
Mulher é agredida com facão por companheiro em Caxias do Sul   

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros