Empresa solicita licença ambiental para instalação de Maria Fumaça em São Francisco de Paula - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Região das Hortênsias12/06/2019 | 17h13Atualizada em 12/06/2019 | 17h37

Empresa solicita licença ambiental para instalação de Maria Fumaça em São Francisco de Paula

Pedido foi protocolado na prefeitura nesta semana

Empresa solicita licença ambiental para instalação de Maria Fumaça em São Francisco de Paula Cláudio Moura/Divulgação
Projeto é tratado como prioridade pela administração municipal devido aos empregos que serão gerados Foto: Cláudio Moura / Divulgação

A solicitação do licenciamento ambiental para instalação de uma Maria Fumaça no Rancho Centauros foi protocolado nesta semana na prefeitura de São Francisco de Paula. O processo é a última etapa para que a obra possa começar. 

Conforme o chefe do Departamento de Licenciamento e Fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente, Lucas Gusen, esse projeto deve tramitar como prioritário porque é considerado de interesse público devido à geração de empregos. O investimento deve gerar 80 vagas diretas e 150 indiretas, segundo a empresa Pró-Serra Parques.

São três fases para obter o aval da Secretaria do Meio Ambiente: a primeira é o licenciamento prévio, que avalia a documentação entregue na terça-feira (11). A previsão é que ele demore cerca de 15 dias, se não houver necessidade de adequações. A segunda é a licença de instalação, que autoriza o início da implantação do projeto aprovado anteriormente e deve levar mais cerca de duas semanas. A terceira é a licença de operação, a ser concedida quando o projeto estiver pronto se tudo está conforme o planejamento. 

Leia mais
Sócios compram terras para implantação de Maria Fumaça na Região das Hortênsias
Empresários planejam criar Maria Fumaça na região das Hortênsias

A instalação de um Parque da Maria Fumaça custará de R$ 85 milhões. A estimativa é do responsável comercial da Pró-Serra Parques, Deivid Palma. Segundo ele, o projeto é dividido em três etapas. A primeira é a operação da Maria Fumaça - as demais ainda não são divulgadas. A previsão de início do passeio é para o final de 2020.

Conforme Palma, não haverá necessidade de desmatamento porque o trajeto passará por áreas onde já existem plantios de agricultura. A ideia também é ter iniciativas ambientalmente sustentáveis, como uso de energia solar. 

— Nós vamos trabalhar para que a natureza seja bastante preservada e para que uma das atrações seja a natureza — afirma. 

Inicialmente, a Maria Fumaça deve começar a operar com três vagões, mas a empresa já comprou outros seis. Eles passam por restauração e serão instalados progressivamente. 

— Cada vagão dos atuais adquiridos tem capacidade para 60 passageiros. Teremos, inicialmente, três. Mas logo depois de dois meses, um, e a cada dois meses, mais um, até atingirmos seis com 60 lugares. (Haverá) mais três vagões temáticos — comenta Palma. 

O trajeto do passeio será de 14 quilômetros, dividido em dois trechos. O responsável comercial explica que a ideia é ter mais de uma locomotiva. Ele conta que uma possibilidade será fazer a ida em um vagão e o retorno em outro, garantido experiências diferentes. Devem ser quatro passeios por dia. 

Leia também
Roteiro Turístico Caminhos de Caravaggio é protocolado na Assembleia Legislativa
Ministro do STJ pede novo prazo e adia mais uma vez julgamento sobre caso Magnabosco
Bens da massa falida da Guerra SA serão leiloados até sexta em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros