Dejetos de porcos geram toda a luz de granja em Carlos Barbosa - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

+Serra20/05/2019 | 08h31Atualizada em 20/05/2019 | 08h34

Dejetos de porcos geram toda a luz de granja em Carlos Barbosa

Conversão de resíduos dos suínos em eletricidade possibilita que a cooperativa Santa Clara economize até R$ 15 mil por mês

Dejetos de porcos geram toda a luz de granja em Carlos Barbosa Anselmo Cunha/Agência RBS
Jung ressalta que ganho ambiental com o projeto é incalculável Foto: Anselmo Cunha / Agência RBS

A geração própria de energia elétrica através do biogás já possibilita que algumas propriedades rurais consigam ser autossustentáveis no abastecimento. Ou seja, os dejetos dos animais resultam em energia suficiente para manter toda a estrutura ativa. Esse é o caso de uma granja da cooperativa Santa Clara, em Carlos Barbosa, onde são criados 8 mil suínos. Com a instalação do sistema de biodigestão, em 2008, a empresa conseguiu driblar a dependência da luz oriunda da concessionária, atendendo à demanda do local e dos equipamentos de tratamentos de efluentes das fábricas. 

Leia mais:
Conheça o biogás, a fonte de energia gerada a partir de resíduos rurais e de saneamento
Biometano desponta como alternativa ao gás natural 

Ao todo, 100 mil litros de dejetos são gerados por dia na granja de Carlos Barbosa, o que possibilita a produção de 1 mil metros cúbicos de biogás a cada 24 horas. Ao final de um mês, o montante de gás se equivale à energia de 23 mil litros de óleo diesel, 146 mil quilos de lenha ou 1,2 mil botijões de gás de cozinha. O gerente de meio ambiente da Santa Clara, Pedro Jung, calcula que, com o sistema, se gera 60 mil quilowatts-hora (kWh) de eletricidade a cada 30 dias, o que proporciona economia na conta de luz de até R$ 15 mil. No entanto, Jung destaca que o ganho ambiental com a medida é incalculável.  

– Sem os biodigestores, o metano estaria sendo emitido direto na atmosfera, o que é prejudicial à camada de ozônio. O segundo aspecto é que os dejetos de suínos, sem tratamento, podem contaminar os lençóis freáticos. Com o biogás, tu consegues reduzir essa carga de impacto – relata Jung. 

Com três biodigestores, a planta de biogás da Santa Clara na Serra demandou investimento de R$ 500 mil. Neste momento, a cooperativa está em tratativas para comprar um novo gerador, que permitiria dobrar a conversão de energia por cada metro cúbico de biogás. O aporte no equipamento deve chegar a R$ 600 mil.

A cooperativa também utiliza o sistema na sua outra planta de suínos, em Selbach. No município da região do Alto Jacuí, são criados 18 mil animais, que geram 150 mil litros diários de dejetos. Com isso, é possível obter 1,5 mil metros cúbicos de biogás a cada 24 horas. Desta maneira, a cooperativa reduz em 60% a demanda de eletricidade da rede, economizando R$ 8 mil mensais.  

+Serra

Leia também  
PRB se reúne com prefeito Daniel Guerra para discutir candidatura à reeleição depois de julho
Vereador que faltou à votação era a favor do projeto de Daniel Guerra contra ideologia de gênero nas escolas
Projeto de Daniel Guerra contra ideologia de gênero expõe divisão dos oposicionistas 

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros