Emater fecha em R$ 6,6 milhões o balanço de perdas na agricultura da Serra - Economia - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Granizo de sábado17/04/2019 | 09h27Atualizada em 17/04/2019 | 09h27

Emater fecha em R$ 6,6 milhões o balanço de perdas na agricultura da Serra

Mais de duas mil toneladas de caqui foram perdidas

Emater fecha em R$ 6,6 milhões o balanço de perdas na agricultura da Serra Carlos Scariot/Divulgação
225 hectares com caquizeiros foram atingidos em quatro municípios da Serra Foto: Carlos Scariot / Divulgação

O prejuízo com o temporal de granizo que atingiu a Serra Gaúcha no último sábado (13) chegou a R$ 6,6 milhões na agricultura, segundo a Emater. A entidade finalizou o balanço na terça-feira (16), após levantamento em propriedades de Caxias do Sul, Garibaldi, Bento Gonçalves e Farroupilha.

As maiores perdas foram nas lavouras de caqui, com prejuízo de R$ 3,22 milhões. A área atingida foi de 225 hectares, provocando a perda de 2,1 mil toneladas. Segundo a Emater, isso representa quase um quarto da produção que ainda resta a colher, que seria próximo de 10 mil toneladas. Cerca de 30% do total, das 14 mil toneladas de caqui previstas para esta safra na Serra, foram colhidos até agora.

Leia mais
Defesa Civil contabiliza distribuição de lonas para 500 casas em Caxias do Sul
Decreto de emergência por temporal em Caxias ainda depende de levantamentos

O segundo maior prejuízo na região foi por danos em coberturas plásticas, somando R$ 1,9 milhões, valor que já havia sido apurado em levantamento preliminar na segunda. O balanço de impactos no kiwi também foi mantido em relação à apuração preliminar, com perda de 65 toneladas e prejuízo de R$ 162,5 mil. Já o impacto na maçã Fuji foi atualizado para R$ 1,35 milhão em 45 hectares, com perda de 625 toneladas.

Conforme o agrônomo especializado em fruticultura da Emater/Serra, Ênio Todeschini, o impacto do granizo não foi maior ainda na agricultura da região porque a maior parte das variedades já havia sido colhida. No caso da cebola e do alho, ainda não chegou a época de implantação desses cultivos na região.

Além dos danos diretos, há os problemas indiretos, como a perda de folhas e os machucados nos ramos das árvores de variedades que já foram colhidas neste ano, incluindo a uva e o pêssego. A perda das folhas pode prejudicar o armazenamento de energia das plantas para o período de inverno, enquanto que os machucados nos ramos podem trazer doenças para as plantas. O relatório da Emater também pontua os estragos em estradas vicinais e internas das propriedades, como prejuízos indiretos ao produtor rural.

Leia também
Previsão do tempo: quarta-feira deve ser de temperaturas amenas e sol na Serra
Saiba por que pesquisa de psicanalistas pode impactar na vida de crianças em Caxias
Famílias serão retiradas de casas no bairro Diamantino em Caxias

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros